21/01/21
PUBLICIDADE
Levantamento do IESS

Beneficiários gastam quase R$ 180 por mês com planos de saúde

Cada um dos 50,2 milhões de beneficiários de planos de saúde no Brasil pagou, em média, R$ 179,10 por mês para contar com a cobertura de seu plano em 2013. Um aumento de 10,9% em relação ao gasto per capita com plano de saúde registrado em 2012. Em contrapartida, as operadoras gastaram, em média, R$ 150 por mês de assistência médica com cada beneficiário. Um avanço de 9,41% em relação ao gasto per capita de 2012, que foi de R$ 137,10.

Os números constam na Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar (Naciss), produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar com base nas informações da ANS que acabam de ser atualizadas. No total, as operadoras receberam R$ 108 bilhões em 2013, 16% a mais do que em 2012, e gastaram R$ 90,5 bilhões com as despesas assistenciais, 14,4% a mais do que em 2012.


Os números representam uma inversão da variação notada no período anterior, quando as despesas cresceram 16,1% e a receita, apenas 12,7%. "O resultado positivo é muito importante para o setor, e pode ser visto como uma recuperação das operadoras, já que em 2011 e 2012 o crescimento das despesas assistenciais teve ritmo mais acelerado do que o das receitas", avalia Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do IESS. "É importante considerar que, caso as consultas, exames, internações e cirurgias fossem pagas do próprio bolso, os gastos dos beneficiários facilmente superariam os R$ 180 por mês gastos hoje com plano de saúde."

Apesar de as receitas e as despesas crescerem em um ritmo muito superior ao da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o equilíbrio entre essas duas contas tem permitido certa sustentabilidade ao setor. Carneiro destaca, entretanto, que esses números tratam apenas das despesas assistenciais, ou seja, os gastos das operadoras com serviços de saúde utilizados por seus beneficiários. "Se considerarmos ainda as despesas administrativas, o setor apresenta uma margem de lucro de cerca de 1%. Um porcentual bastante reduzido em comparação a qualquer setor da economia", completa.

A Naciss aponta, ainda, que a taxa de sinistralidade (relação expressa em porcentagem, entre a despesa assistencial e a receita de contraprestações das operadoras) fechou 2013 em 83,7%. A segunda maior da série histórica que analisa os dados do setor já há mais de uma década, desde 2003.
Redação Bonde com assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Coronavac

Moradores de reservas da região são imunizados contra a Covid-19

21 JAN 2021 às 20h20
Boletim

Mais oito mortes por Covid-19 e 405 novos casos são registrados em Londrina

21 JAN 2021 às 20h02
Boletim

Sesa confirma mais 3.126 casos e 71 mortes pela covid no PR

21 JAN 2021 às 19h59
Boletim

Maringá registra 241 casos de Covid-19

21 JAN 2021 às 17h50
Balanço da Sesa

Vacinação contra Covid-19 já começou nos 399 municípios do Paraná

21 JAN 2021 às 17h33
Liberação

Índia começará a exportar vacinas contra a Covid-19 para o Brasil nesta sexta, diz agência

21 JAN 2021 às 15h40
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados