Pesquisar

Canais

Serviços

- Américo Antonio/Sesa
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Epidemia

Seis novos casos e um óbito pela H3N2 são registrados em Londrina

Redação Bonde com AEN
25 jan 2022 às 18:10
Continua depois da publicidade

Londrina registrou seis novos casos da doença e um óbito pela H3N2. Trata-se de uma mulher de 89 anos que faleceu no último dia 18. De acordo com a Sesa (Secretaria estadual da Saúde), a paciente não havia se imunizado a vacina contra Influenza. Quatro mortes e 48 casos de H3N2 foram registrados em Londrina até o momento. No Paraná foram 134 casos e sete óbitos em decorrência da doença no boletim desta terça-feira (25). As informações foram extraídas nesta terça-feira (25) no Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Continua depois da publicidade

A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 1.650 casos e 55 mortes em 212 municípios do Estado. Os novos óbitos foram registrados em Curitiba (2), Faxinal (1), Londrina (1), Nova Laranjeiras (1) e Ponta Grossa (2). Eles ocorreram entre os dias 5 e 23 de janeiro deste ano. As mortes referem-se a quatro homens e três mulheres com idades de 34 a 89 anos.


“Conseguimos esses dados semanalmente após investigação epidemiológica e sabemos que os números não representam a realidade. Devemos ter aproximadamente trinta vezes mais diagnósticos de gripe no Paraná do que temos registrado até agora”, afirma o secretário da Saúde, Beto Preto.


No último dia 12, o Paraná declarou estado de epidemia de H3N2, considerando o rápido contágio, direto ou indireto da doença. Normalmente o vírus da gripe circula durante os períodos mais frios, porém, este ano a infecção pela doença aumentou no verão, de maneira atípica.

Continua depois da publicidade


“O vírus não escolhe idade ou um grupo. Temos registros de pessoas contaminadas de todos os perfis e óbitos de 19 a 100 anos. Mais do que nunca os cuidados como uso de máscaras, lavagem das mãos e principalmente a vacinação, são indispensáveis”, alerta o secretário.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade