Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Ministério da Saúde

Paraná reduz em 56% os casos de dengue

AEN
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Balanço preliminar, divulgado pelo Ministério da Saúde nesta semana, aponta redução de 56% na quantidade de casos de dengue no Paraná, em comparação a 2008. Os números mostram que o Estado registrou 4.051 notificações de dengue nas primeiras 15 semanas deste ano (1º de janeiro até 11 de abril). No mesmo período de 2008, o total chegou a 9.365 casos. Além do Paraná, outros 17 estados registraram redução. Ao todo, o Brasil apresentou queda de 49% no número de casos em relação ao ano passado.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Os resultados apresentados decorrem em grande parte das diversas ações e mobilizações que vêm ocorrendo em municípios de diferentes regiões do Paraná. É o caso, por exemplo, de Icaraíma, Maringá e Coronel Domingos Soares, que se destacaram pela participação popular e criatividade no combate ao mosquito. Em Icaraíma, a mobilização popular, da comunidade e de órgãos municipais e estaduais conseguiu reduzir em pouco tempo o índice de infestação predial. Já o município de Coronel Domingos Soares se destacou pela criatividade em promover um concurso entre as escolas de rede publica sobre o tema.

Continua depois da publicidade


"É importante que cada município faça sua parte no combate à dengue. Ações descentralizadas e eficazes é que irão garantir a redução na incidência e diminuir a quantidade de casos da doença", reforçou o secretário da Saúde, Gilberto Martin.


Há alguns meses, o cenário em que se encontrava Icaraíma em relação à infestação da dengue era bastante preocupante. O índice do município chegava a 12,2% em algumas regiões, e a média geral era de 9,8%, valor muito elevado, uma vez que a Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece como alto risco para epidemia valores acima de 1%. Dois meses depois esse número caiu para 2%. A redução só foi possível graças a uma série de medidas empregadas na cidade, que servem de exemplo para os demais municípios do Paraná.


Medidas

Continua depois da publicidade


A primeira medida estabelecida pelo secretário municipal da Saúde, Agnaldo Golveia, para reduzir a infestação, foi reunir-se com o prefeito da cidade para tomar ciência da gravidade da situação e discutir ações futuras. Em seguida, o cenário foi apresentado à comunidade, incentivando representantes e dirigentes de todos os sindicatos, associações, polícia militar, igrejas e pastorais a participarem do trabalho de combate à doença. Nessa reunião, o secretário alertou sobre os riscos para a população naquele momento.


"Precisamos contar com o apoio e o incentivo de todas as instituições para reduzir esses índices. Os resultados dessas ações serão percebidos apenas a médio e longo prazo, mas mesmo assim precisamos nos manter ativos", destacou Golveia à época.


Após conhecer a gravidade do problema, a prefeitura disponibilizou três equipes, cada uma composta por um caminhão, três braçais, uma enfermeira, e quatro a cinco agentes comunitários. Esses grupos trabalharam durante oito dias em diferentes regiões, limpando terrenos baldios, casas e ruas. A coleta rendeu 30 toneladas de lixos e materiais em desuso.


As ações terão continuidade com trabalhos nas escolas, palestras e envolvimento mais forte de líderes da comunidade que realizem atividades de sensibilização. "A idéia é convocar as entidades e dividir a cidade em blocos para que cada representante fique responsável por sua região", explicou o secretário municipal.


Em Coronel Domingos Soares, foi realizado um concurso para alunos da rede pública estadual sobre o tema "Volta às aulas sem dengue". Enquanto os alunos do ensino fundamental concorreram com frases, os de ensino médio produziram redações. No total, 1.500 alunos participaram do evento. Para os vencedores, os prêmios foram um MP3 no ensino fundamental e um celular no ensino médio.


Prevenção


"A realização de medidas preventivas é o melhor caminho para evitar o alastramento da dengue. A realização desse concurso foi uma maneira de incentivo ao combate à doença e uma forma de orientação aos pais, alertando-os para que não mantenham depósitos de água parada nos quintais e em casa também", enfatizou o secretário municipal da Saúde, José Maria de Araújo Filho.


Maringá também se destacou pelo desempenho das atividades que contribuíram para a redução da infestação do mosquito. Ações com empresas, estudantes e igrejas têm mobilizado a população no combate à dengue.


Segundo o chefe da Vigilância Sanitária da 15ª Regional de Saúde de Maringá, Dirceu Vedovello Filho, os índices de infestação predial têm sido satisfatórios. "Fatores como as chuvas, o tempo e a umidade também influenciam os resultados. No entanto, o empenho da Secretaria Municipal da Saúde de Maringá tem sido decisivo para os bons resultados", afirma.

O município ainda criou um Comitê de Combate à Dengue, que reúne técnicos municipais e da Regional, associações, empresas e secretarias municipais, para discutir estratégias de ação para o combate ao mosquito. De acordo com o chefe da Vigilância Sanitária, algumas empresas que contam com mais de 100 funcionários estão desenvolvendo ações para reforçar a divulgação e a identificação de possíveis focos do mosquito.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade