Pesquisar

Canais

Serviços

iStock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Sancionada em caráter emergencial na pandemia

Telemedicina cresce como alternativa na saúde

Redação Bonde com assessoria de imprensa
21 set 2021 às 10:54
Continua depois da publicidade

O isolamento social, devido à pandemia do novo coronavírus, impulsionou a telemedicina. Como esse tipo de serviço foi autorizado de maneira emergencial durante a crise, os pacientes passaram a ter a opção de consultas remotas. Diversos serviços passaram a operar de maneira remota durante a crise sanitária. Essa nova forma de atuar abriu espaços antes subocupados e que agora se estabelecem como alternativa viável para o atendimento aos pacientes.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A telemedicina foi sancionada em abril de 2020, com caráter emergencial, através da lei 13.989/20. Ela fica autorizada durante a crise ocasionada pela Covid-19 e segue padrões normativos e éticos usados no atendimento presencial. A regulamentação futura da telemedicina deve ser feita pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) após a crise do coronavírus.

Continua depois da publicidade


Tanto o sistema de saúde público, como o privado, têm usado a telemedicina. São várias formas de alcançar o paciente, com videochamadas através do WhatsApp ou outros aplicativos e até ligações telefônicas. O importante é ter o contato com o paciente, sem os riscos do atendimento presencial. Muitos pacientes aprovam a nova forma de se conectar com os médicos. Assim, poupam deslocamentos desnecessários e tiram dúvidas que, na maioria das vezes, são solucionadas por telemedicina.


A AsQ fez um levantamento que apontou que, de quase 100 mil teleconsultas realizadas, por volta de 90% dos pacientes afirmaram que usariam esse tipo de serviço novamente. Quase 85% deixaram de ir ao atendimento presencial por se satisfazerem com o serviço de telemedicina. Esse tipo de consulta soluciona problemas de saúde de baixa e até média complexidade.

Continua depois da publicidade


É importante, porém, a segurança dos dados nos atendimentos de telemedicina. O certificado digital A1 pode ser um facilitador, já que garante a autenticidade de operações feitas online. A certificação digital faz com que os arquivos que circulam não corram risco de ser, por exemplo, corrompidos ou até extraviados. Com o avanço dessa tecnologia, será possível, no futuro, o encaminhamento de documentos de saúde com mais segurança e praticidade, como no envio de resultados de exames de um paciente diretamente para o médico – um sistema que integra serviços de saúde facilita a comunicação.


Com o avanço e a aprovação da telemedicina, é preciso que os serviços possam facilitar a vida dos pacientes. Porém os pacientes precisam ficar atentos e, em situações de emergência, recorrer ao atendimento presencial ou pronto-socorro quando necessário. O isolamento social fez com que a telemedicina alcançasse novos espaços e tem tudo para se tornar uma presença constante no futuro de muitos pacientes.

Continue lendo