Pesquisar

Canais

Serviços

Arquivo/COM UEL
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Retorno

UEL mantém volta às aulas presenciais para 24 de janeiro

Micaela Orikasa - Grupo Folha
07 jan 2022 às 16:21
Continua depois da publicidade

Com o retorno das atividades administrativas na UEL (Universidade Estadual de Londrina) nesta sexta-feira (7), a comunidade interna retoma as pautas sobre o retorno das aulas presenciais para os mais de 13 mil estudantes, marcadas para o dia 24 de janeiro, e do Plano de Contingenciamento: Orientações de Segurança Sanitária para o Enfrentamento da Covid-19.  

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A decisão pelo retorno foi aprovada em novembro de 2021 pelo Cepe (Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão). “Obviamente que estamos atentos em relação ao cenário epidemiológico dos últimos dias, mas o retorno presencial para todos os estudantes da graduação e pós-graduação está mantido. Em função do cenário atual que está sendo mapeado, entendemos que não há nenhum elemento que nos obriga a mudar a data de reinício das aulas e de forma presencial. A variante ômicron nos deixa em alerta porque é mais transmissível, porém menos letal que outras variantes que circularam”, afirma o reitor em exercício, Décio Sabbatini Barbosa. 

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Barbosa lembra que desde que a pandemia foi decretada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), “no dia seguinte foi criada uma comissão interna para mapear a situação. Temos acompanhado o cenário mundial, brasileiro, estadual e municipal diariamente, em relação à pandemia”.  


Nesta sexta-feira (7), a Universidade recebeu uma equipe de trabalhadores terceirizados para reforçar a limpeza e higienização das salas de aulas. Todos irão passar por um treinamento. Ainda de acordo com Barbosa, o plano de contingência foi atualizado recentemente e a comunidade interna está discutindo a questão do comprovante de vacinação.  


“Por ora, não vamos solicitar comprovante (de vacinação), mas a ideia é fazer um levantamento de todas as categorias como professores, técnicos administrativos e estudantes, em relação ao nível de vacinação. Nossa percepção é que a vacinação é ampla entre todos, mas isso pode mudar pois ainda está em discussão”, ressalta.  

Continua depois da publicidade


Continue lendo na FOLHA

Continue lendo