03/07/20
19º/LONDRINA
PUBLICIDADE
Atenção

A importância de fazer novas cotações no Plano de Saúde a cada três anos

Diferentemente de algumas assistências e coberturas, como seguro de automóveis ou residenciais, os planos de saúde mudam de valor e aumentam os respectivos custos com o passar do tempo, seja pelo reajuste anual, que não possui regulação da ANS (Agência Nacional da Saúde) no caso de planos coletivos, seja pelo envelhecimento do segurado. Há também a inclusão de novos procedimentos no rol de coberturas obrigatórias e novas tecnologias, dois fatores que também encarecem o serviço. Por isso, é importante realizar cotações de tempos em tempos para saber se existem opções diferentes no mercado que atendam melhor as necessidades do indivíduo e ofereçam valores menores que o atual.

Segundo Marcelo Alves, diretor da Célebre Corretora, empresa do segmento de planos de saúde e seguros no país, o cliente que procura por novas tarifas está em vantagem, pois ele já vem de um cenário não muito favorável e deseja fechar negócio com quem lhe oferecer a melhor opção. "Quando o beneficiário decide trocar de plano é porque não está satisfeito ou não pode mais pagar. Assim, ele decide procurar algo que ofereça um bom custo-benefício e, com certeza, receberá propostas mais atraentes", explica o diretor.


Para realizar novas cotações, o segurado ou a empresa deve procurar um corretor em média a cada três anos. "Este tempo é o ideal para se traçar um perfil de usuário que o corretor possa utilizar no momento de negociar planos com diferentes empresas. Além disso, após três anos, o segurado já possui embasamento para eliminar coberturas que se mostraram desnecessárias", sugere Alves.

O diretor da Célebre Corretora também destaca que realizando cotações regulares é possível conseguir uma economia de até 40%. Após optar pela mudança, vale ressaltar que o usuário deve estar atento aos períodos de carência que ele precisará cumprir novamente, sendo que o mínimo para consultas, exames e internações é de 180 dias, segundo a ANS (Agência Nacional da Saúde). "A carência só é excluída em casos bem específicos e o cliente precisa estar ciente de que ele está começando do zero mais uma vez, por isso vale estar com a saúde em dia e não interromper nenhum tratamento", conclui o executivo.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Transmissão comunitária
Pandemia de coronavírus na Europa está longe de terminar, diz agência de controle
03 JUL 2020 às 10h18
Não vai ser o fim
Vacinas poderão controlar a Covid-19, diz diretor do Butantan
03 JUL 2020 às 09h55
Dados do Ministério da Saúde
No Brasil, Covid-19 mata mais homens pardos com mais de 60 anos e comorbidades
03 JUL 2020 às 09h09
Entenda os dados
Só 9% dos infectados por coronavírus se dizem assintomáticos, diz estudo
03 JUL 2020 às 08h32
Dados atualizados
Brasil tem 1.277 novas mortes pela Covid-19 e país chega a 61.990 óbitos
03 JUL 2020 às 08h11
Boletim da prefeitura
Maringá registra 58 novos casos de Covid-19; 1.617 no total
02 JUL 2020 às 19h41
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados