16/06/21
PUBLICIDADE
Cuidados diários

Aprenda a reconhecer os primeiros sinais da psoríase

Não é tarefa simples diagnosticar a psoríase. Às vezes, os pacientes passam por médicos de diferentes especialidades até obter o firme diagnóstico desta doença crônica de pele. Isso acontece porque as manchas na pele, frequentes na psoríase, embora sejam descamativas, nem sempre se manifestam com a mesma aparência entre os pacientes. E mais: também é comum as manchas irem e voltarem, ou seja, elas podem desaparecer de forma espontânea.

Será que dá para saber que se tem a doença antes mesmo de procurar a ajuda de um dermatologista? Não, é necessário o diagnóstico médico. Mas é possível esclarecer alguns pontos para que você possa ter uma noção prévia sobre a psoríase. Primeiramente, é importante saber que ela envolve fatores hereditários, ou seja, é comum aparecer na mesma família. Existem alguns sinais típicos da psoríase, como manchas descamativas na pele com aspecto avermelhado que podem coçar e deixam a região desidratada. Além de poder surgir em diferentes partes do corpo, como braços, abdômen, costas, pernas e couro cabeludo, a doença pode se manifestar também nas unhas e entre os dedos.

Vale ressaltar ainda que essas manchas podem proliferar de um dia para o outro. "O que começa com uma simples lesão, pode virar uma placa maior na pele", esclarece a dermatologista consultora da Biobalance, Dra. Maria Paula Del Nero.

O importante é ter em mente que a psoríase não é contagiosa e que já há tratamentos eficazes para combatê-la, como cremes calmantes sem corticoides e de uso tópico.

"É importante atuar também na prevenção das crises, usando cremes altamente hidratantes, emolientes e de boa qualidade todos os dias, mesmo quando as lesões não estão aparentes, pois melhorando a barreira cutânea, conseguimos diminuir as crises", explica.

Quem tem psoríase deve ficar constantemente atento aos sintomas para evitar crises e controlar a doença. "Não se pode deixar que a psoríase interfira na sua qualidade de vida. Então, o caminho certo é seguir à risca o tratamento médico recomendado", afirma a Dra. Maria Paula.

Sem causa conhecida, sabe-se que a doença está relacionada com uma possível disfunção no sistema imunológico que faz com que as células-T, responsáveis pela defesa do organismo, ataquem as células da pele, que se multiplicam desordenadamente. Crônica, a psoríase ocorre em ciclos. Além de ser genética, e hereditária, a doença ainda pode ser desencadeada por um fator externo, como o estresse.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Vacinação no PR

Idosos passam de maioria para um quarto dos internados nas UTIs do Paraná

15 JUN 2021 às 20h10
1.599 mortes pela doença

Londrina monitora 744 casos ativos de coronavírus; 234 internados

15 JUN 2021 às 18h46
Boletim diário

Maringá registra mais 10 mortes pelo novo coronavírus nesta terça

15 JUN 2021 às 18h10
Saiba mais

Variante do coronavírus identificada no interior já circulava desde janeiro em São Paulo

15 JUN 2021 às 16h34
340 óbitos

Boletim da Saúde indica recorde de mortes por coronavírus no Paraná

15 JUN 2021 às 15h37
Entenda o projeto!

Se passar, eu veto, diz Bolsonaro sobre projeto que cria 'passaporte da vacina'

15 JUN 2021 às 14h38
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados