Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Alimentação

Carne tratada com hormônios pode alterar o metabolismo?

Saúde - Folha de Londrina
21 jan 2011 às 16:01
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Os casos de amadurecimento sexual precoce decorrentes da carne bovina ou de aves tratadas com hormônios (hormônio de crescimento e estrógenos são os mais comuns) são raros e não existe descrição no Brasil. Alguns casos foram relatados no exterior, mas não chegam a 100 casos, sendo os mais notórios os ocorridos na Itália e Inglaterra.

Devem existir outros inúmeros casos, porém, é difícil comprovar a causa. Acredita-se que mesmo ingerindo alimentos com maior quantidade de hormônios, a criança precisa ter uma predisposição genética para que a puberdade precoce ocorra.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A puberdade precoce - aparecimento de características sexuais secundárias em crianças - ocorre em 80% dos casos por fatores genéticos, ou mesmo desconhecidos. Ocorre um amadurecimento precoce da região do hipotálamo-hipófise e a produção de hormônios sexuais antes do tempo esperado. Em 20% dos casos a origem é clínica, decorrente de problemas nas glândulas, traumatismo craniano, presença de cistos ou contato com hormônios de origem externa.

Leia mais:

Imagem de destaque
Confira!

Febre, calafrios e dores são principais efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca

Imagem de destaque
Previna-se!

Esclareça suas dúvidas sobre Terçol

Imagem de destaque
Dia Mundial da Osteoporose

Conheça os mitos e verdades sobre a osteoporose

Imagem de destaque
Saiba mais

Quais os desafios de fazer uma vacina chegar à população?


Desses, os hormônios de origem externa são provavelmente a forma mais rara. Exemplos: ingestão inadvertida de pílulas anticoncepcionais ou comprimidos de hormônios da mãe (estrogênio), contato frequente da pele da criança com a pele de algum dos pais que usa hormônio na forma de gel ou creme (estrogênio ou testosterona) e presença de hormônios nos alimentos, como carne bovina ou de aves (estrogênio ou hormônio de crescimento).


Para evitar o contato das crianças com esses hormônios, os pais devem deixar os medicamentos longe do alcance delas; os adultos que usam hormônios na pele não devem ter contato com a pele das crianças; e é necessário aumentar a vigilância sobre a criação dos animais, a fim de impedir o uso de hormônios. Não existem níveis seguros recomendados para o uso de hormônios em tratamento de animais, e o uso deve ser controlado pelas agências fiscalizadoras.

André G. Daher Vianna, endocrinologista (Curitiba)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade