21/02/20
32º/19ºLONDRINA
Médico esclarece

Cinco dúvidas comuns sobre o parto normal e humanizado

Shutterstock
Shutterstock


O parto normal carrega uma série de lendas, mitos e verdades que são capazes de "assustar" as mães que nunca se submeteram ao procedimento. O ginecologista e obstetra, Alberto Guimarães, revela as principais dúvidas desse tipo de parto:


1.Qual a importância do pré-natal especialmente no caso do parto normal?

O pré-natal é fundamental em todas as circunstâncias, esse é o momento em que a gestante terá toda a informação, o conhecimento e o compartilhamento de experiências. É o período pelo qual o médico orientará a gestante a respeito do procedimento: quais são os sinais que mostram que está chegando a hora; perda do tampão mucoso (secreção gelatinosa que ocorre com a proximidade do parto); contrações uterinas regulares que caracterizam o trabalho de parto; entre outros pormenores.

2. Quais as vantagens/benefícios do parto normal?

No parto normal, o bebê tem uma chance maior de nascer maduro e com um pulmão funcionando melhor. Também está mais propenso a ser amamentado logo ao nascer. Além disso, cortar o cordão umbilical na hora adequada possibilita que uma quantidade de sangue da placenta passe para o bebê, permitindo que tenha menos chance de ter uma anemia na fase inicial. Para a mãe, há uma grande possibilidade de ter menos sangramento, menos infecção, e ainda, não compromete o útero em uma futura gravidez. A recuperação costuma ser mais rápida, e isso viabiliza que a mulher consiga lidar facilmente com seus cuidados pessoais e de higiene.

3.Em quais casos o parto normal é indicado?

Toda mulher que está grávida deve pensar que é uma candidata natural ao parto normal. É muito raro que o médico não indique este tipo de parto, a não ser que o bebê esteja em uma posição transversa e que vá precisar de uma cesárea. Ou em casos de placenta prévia, centro ou total, que ocorre quando uma mulher já se submeteu à cesariana – a placenta fica na entrada do colo do útero e tampa o local, o que poderá ser necessário se submeter à uma cirurgia.

4. É verdade que o parto normal alarga o canal vaginal?

Para a passagem do bebê, o canal da vagina precisa que a musculatura se alargue. Entretanto, é importante saber que existem cuidados, exercícios e providências a serem tomadas para que essa musculatura se distenda. Logo após a passagem do bebê, com a diminuição hormonal, e com essa nova configuração corporal, a mulher continuará tendo uma vagina normal, com musculatura apta para as relações sexuais sem quaisquer prejuízos. A mulher não pode optar pela cesárea apenas para não alargar o canal vaginal, até porque o peso do útero no assoalho pélvico já pode distender o músculo. Além de uma incontinência urinária, que também pode ocorrer em quem passou por uma cesariana.

5.Grávida de gêmeos pode ter parto normal?

A grávida gemelar tende a ter partos prematuros, antes das 40 semanas. Essa questão da prematuridade é algo a se considerar. Além disso, a posição dos bebês também é um fator importante para pensar na via de parto. Para pensar no parto normal, o primeiro precisa estar de cabeça para baixo. A diferença do peso entre eles também é importante: é necessário observar se o primeiro tem o peso igual ou maior que o segundo, visto que essa diferença não pode ser muito grande. Mesmo que o bebê esteja sentado, e o planejamento seja uma cesariana, o ideal é que se espere o tempo propício para que a mãe entre em trabalho de parto.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
comentários
Continue lendo
Formulação inédita

Mestrado da UEL desenvolve esmalte para tratamento de micose em unhas

Fertilização in vitro

Casais homoafetivos podem ter filhos por reprodução assistida

Veja mais e a capa do canal