23/09/20
°/°
Descubra!

Cirurgias plásticas podem ser realizadas em pacientes soropositivos?

Existem muitos mitos e incertezas a respeito do vírus HIV e de quem é hospedeiro. Uma delas é se o paciente soropositivo pode se submeter, sem restrições, a um procedimento de cirurgia plástica. O cirurgião plástico Sérgio Morum explica porquê o paciente diagnosticado não precisa desistir do procedimento.

Em 2013, o Ministério da Saúde divulgou que 734 mil brasileiros eram portadores do vírus HIV, mas que 19,75% dessa população (145 mil) não têm ideia de que vivem com esse quadro. Esse cenário de desconhecimento faz com que o portador tome ciência do diagnóstico de outra forma: antes de uma cirurgia plástica.


De acordo com o médico, muitos pacientes podem descobrir ser portadores do vírus HIV nos exames preliminares. "Antes de qualquer procedimento cirúrgico, o cirurgião pede para que o paciente realize uma bateria de exames, inclusive de sangue. Nesses exames, é possível constatar a presença do vírus HIV, se o paciente for hospedeiro." Para ele, a reação pós-descoberta é a parte preocupante. "Muitos descobrem e não voltam para realizar a cirurgia, e o cirurgião fica sabendo do motivo muito tempo depois."

Divulgação
Divulgação


Segundo o médico é compreensível o susto do paciente ao descobrir a notícia, mas esse assunto precisa ser debatido. "É necessário que o paciente saiba que não há nenhum impedimento em realizar procedimentos cirúrgicos. O fato de ser portador do vírus HIV não o proíbe de ter uma vida normal. Ele pode realizar diversas atividades como qualquer outra pessoa, inclusive uma cirurgia plástica. Não há motivos que o impeça de realizar qualquer procedimento." Ele afirma que o diagnóstico não é uma sentença. "É possível ser portador do vírus, mas não sofrer com a Aids. Se o diagnóstico foi dado cedo e o tratamento foi bem realizado, o paciente não sofrerá as consequências da doença. Isso não o impede de realizar qualquer atividade que já fazia ou que planejava fazer."



O cirurgião plástico afirma que o relacionamento paciente-médico é confiável e sigiloso. "É contra a ética do exercício profissional da medicina que qualquer informação médica a respeito do paciente seja divulgada pelo médico, sem a prévia autorização. Mas é necessário que o paciente confie, e conte tudo durante a consulta."
Redação Bonde com assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Coeficiente de mortalidade
Mortalidade pelo novo coronavírus em Arapongas é quase o dobro de Londrina
22 SET 2020 às 20h54
Vale do Ivaí
Apucarana registra primeiro óbito por dengue do novo período epidemiológico
22 SET 2020 às 20h45
Boletim da pandemia
Londrina tem mais três mortes e 291 casos de Covid-19 confirmados
22 SET 2020 às 19h31
Boletim diário
Paraná divulga 2.165 confirmações e 39 mortes pela Covid-19
22 SET 2020 às 17h54
Boletim da pandemia
Maringá registra três novas mortes pela Covid-19 e 116 casos confirmados
22 SET 2020 às 16h28
Saiba mais
Cirurgia bariátrica pode afetar qualidade dos espermatozoides, diz estudo
22 SET 2020 às 10h45
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados