20/09/20
°/°
Saiba mais

Diabéticos que fumam podem enfrentar a Síndrome de Fournier

Síndrome de Fournier é um tipo específico de gangrena que acomete os órgãos genitais, principalmente a região do períneo. O quadro é grave e acomete mais homens do que mulheres, embora não seja um problema exclusivamente masculino. Pacientes diabéticos, fumantes, e que ainda têm problemas relacionados à obesidade apresentam risco aumentado para esse tipo de gangrena.

De acordo com Arnaldo Cividanes, médico urologista e diretor técnico do Hospital SAHA, em São Paulo, enquanto o diabetes pode danificar os vasos sanguíneos, reduzindo ou até mesmo interrompendo o fluxo sanguíneo para determinada parte do corpo, o fumo expõe a pessoa a um risco aumentado para gangrena e o excesso de peso também pode comprimir artérias e comprometer o fluxo sanguíneo, piorando o quadro. O médico ainda inclui no grupo de risco aqueles pacientes com imunodeficiência (HIV) e problemas arteriais (aterosclerose).


"A gangrena pode ser causada por falta de circulação numa determinada área do corpo, que neste caso é a base da região genital, por uma infecção bacteriana que leva à morte do tecido, ou ainda por trauma. Pacientes que se envolveram em acidentes de carro, por exemplo, podem ficar mais suscetíveis a uma profunda infecção bacteriana que provoca gangrena no tecido afetado. Neste caso, a região que inicialmente se apresenta dolorida e inchada pode passar por uma mudança de coloração até que o tecido escureça completamente – sinal de que não está recebendo oxigênio e nutrientes necessários para manter o órgão vivo", diz Cividanes.

De acordo com o urologista, os primeiros sintomas da Síndrome de Fournier são febre baixa e persistente, mudança de cor na região do escroto, dor súbita na parte do corpo afetada por trauma ou cirurgia, ou espinhas e furúnculos mal tratados. Vale dizer que, pela própria configuração da região escrotal, que tem menor circulação de ar, está submetida a temperaturas mais altas, e exige uma higiene especial, o paciente com fator de risco aumentado tem de estar sempre atento a qualquer tipo de dor ou alteração de cor da pele dessa parte do corpo. "As pessoas pensam que gangrena só acontece em extremidades, nos dedos dos pés e das mãos, mas não é essa a realidade. O tratamento pode incluir uso de antibióticos, terapia com câmara hiperbárica e até cirurgia. Mas vale dizer que o caso é grave, podendo levar à morte um em cada quatro pacientes acometidos por essa síndrome, principalmente quando a infecção se espalha para outros órgãos, provocando septicemia".
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
Continue lendo
Estatísticas
Covid-19: Londrina tem três novos óbitos e chega a 231 mortes
19 SET 2020 às 17h16
No Paraná
Sesa confirma mais 26 mortes pelo novo coronavírus
19 SET 2020 às 17h01
Investimentos
Após seis meses, PR mantém enfrentamento ao coronavírus
19 SET 2020 às 14h14
Levantamento
Covid-19 responde por 97,5% dos casos de SRAG reportados no Brasil
19 SET 2020 às 08h45
Boletim da Sesa
Paraná ultrapassa 160 mil confirmações e 4 mil óbitos pela Covid-19
18 SET 2020 às 19h03
Boletim
Londrina tem mais quatro mortes pela Covid-19 e 132 novos casos
18 SET 2020 às 18h48
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados