31/05/20
25º/10ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Leia mais

Dicas para manutenção da limpeza e saúde de instituições de ensino

Segundo dados da International Sanitary Supply Association (ISSA), professores perdem em média 5,3 dias de trabalho ao ano por motivos de doenças. Já os alunos faltam em média 4,5 dias anuais e, em grande parte, a falta de limpeza e higienização dos ambientes é responsável por esses afastamentos.

Com objetivo de contribuir com a manutenção das instituições de ensino, permitindo ambientes limpos e saudáveis ​​durante todo o ano letivo, a Abralimp preparou dicas que ajudam a reduzir o absenteísmo, melhorando a qualidade de vida e o desempenho de alunos e professores.


Adote um cronograma de atividades
A limpeza geralmente ocorre primeiro nas salas de aula, banheiros, áreas externas, salas de diretores e professores. Nas salas de aula, por exemplo, em que há lousa, carteiras e pisos distintos, é preciso velocidade na limpeza, uma vez que são frequentemente preenchidas com grupos de alunos. Por isso, em algumas épocas do ano, a limpeza deve se resumir em atividades-chave como apagar a lousa deixada pelo professor, limpar as carteiras, recolher os lixos, ou seja, preparar o ambiente para receber a próxima turma. Lembrando que tudo deve ser realizado dentro de um cronograma com base nas necessidades de cada instituição.

Desinfecção profunda para os meses de verão
Embora seja importante desinfetar os estabelecimentos de ensino regularmente, os meses de verão, especialmente antes do início do ano letivo, são oportunos para limpar áreas de alto tráfego, uma vez que o horário de funcionamento e o fluxo diário de alunos podem dificultar a realização de um regime intenso de limpeza. Por isso, durante as férias, os profissionais devem ser munidos com equipamentos mais pesados, como enceradeiras e lavadoras de alta pressão. Além disso, é nesta época que as equipes devem se dedicar à higienização dos armários e janelas, áreas que normalmente coletam poeira, evitando assim o acúmulo de alérgenos comuns.

Invista na higienização das mãos
De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, a lavagem das mãos é uma das formas mais eficazes de evitar doenças contagiosas e reduzir a propagação de germes. Por isso, as escolas também devem considerar a instalação de instrumentos de prevenção de infecções, tais como sistemas automatizados nos sanitários, sejam nas torneiras e também em dispensadores de sabonetes e de toalhas, o que ajuda a evitar o contato direto das mãos com objetos e superfícies contaminados.

Aposte em soluções sustentáveis
Muitos recursos sustentáveis são utilizados nas instituições de ensino, entre eles os sistemas de captação de água de chuva para utilização na limpeza e lavagem de espaços comuns, além do reaproveitamento desta água para os vasos sanitários.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Saiba mais
Maringá registra dois óbitos por Covid-19; total chega a 8
30/05/2020 18:01
Boletim da saúde
Com mais dois óbitos, Londrina chega a 24 mortes pelo novo coronavírus
30/05/2020 17:36
Boletim estadual
Com mais oito óbitos, Paraná chega a 181 mortes pela Covid-19
30/05/2020 17:17
Alerta!
Sociedade de Pediatria desaconselha cloroquina em crianças e adolescentes com Covid-19
30/05/2020 10:49
Mais de 27 mil mortes
Brasil supera Espanha e se torna o 5º país com mais mortes por coronavírus
29/05/2020 20:00
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados