23/06/21
PUBLICIDADE
Entenda

Doença que faz os cílios nascerem para dentro pode levar à cegueira

Já imaginou seus cílios constantemente crescendo em direção ao seu globo ocular? O nome médico para esta condição é entrópio, uma alteração anatômica da pálpebra que se caracteriza pela inversão da margem palpebral, ou seja, a borda da pálpebra se inverte fazendo os cílios crescerem para dentro.

Segundo a oftalmologista Tatiana Nahas, especialista em cirurgia de pálpebras e Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o entrópio atinge mais comumente a pálpebra inferior, causando irritação ocular, sensação constante de ter um corpo estranho nos olhos e lacrimejamento. "Além disso, o entrópio pode levar à ceratite (lesão da córnea) e à ulceração da mesma devido ao trauma constante dos cílios contra o globo ocular", diz a médica.

Como o entrópio surge
O entrópio pode ser congênito (quando surge ao nascimento), senil, cicatricial ou espástico, sendo o mais comum o senil, que aparece como resultado do processo de envelhecimento. Ao envelhecermos, a pele fica mais flácida, o que pode levar à perda da tensão dos músculos. Além disso, há atrofia da gordura do globo ocular.

Segundo Nahas, o entrópio cicatricial costuma aparecer após o tracoma, uma infecção causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que leva a uma cicatriz tardia de ceratoconjuntivite. O tracoma é a principal causa de entrópio no Brasil. Outras causas estão relacionadas a traumas, queimaduras, processos inflamatórios, acne rosácea ou doença das glândulas de Meibômio.

"Normalmente, o cicatricial é mais grave e atinge mais a pálpebra superior. O espástico é decorrente de espasmos excessivos da musculatura periocular, forçados ou involuntários, devido a doenças que atingem as células do sistema nervoso, como no blefaroespasmo facial, por exemplo," explica a especialista.

Tratamento
Após o diagnóstico, que deve ser feito por um oftalmologista, o tratamento definitivo é cirúrgico. São indicados lubrificantes oculares e antibióticos tópicos. Entretanto, como o entrópio pode afetar a córnea, o tratamento deve ser feito o mais breve possível, na maioria dos casos.

"A cirurgia é realizada para corrigir a posição da pálpebra e evitar o crescimento dos cílios para dentro. No entrópio espástico podemos usar a toxina botulínica e o afastamento mecânico por meio de fita adesiva. Cada caso irá requerer um tipo de tratamento e só o médico pode indicar a terapêutica mais adequada", comenta a médica.

Mesmo após a cirurgia, alguns pacientes podem apresentar recidiva da condição, ou seja, os cílios podem voltar a nascer para dentro. Nestes casos, é feita uma nova cirurgia.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Boletim diário

Londrina ultrapassa 65 mil casos do novo coronavírus; 1.672 óbitos

23 JUN 2021 às 17h40
Pandemia

Maringá orienta para que máscaras sejam descartadas no lixo comum

23 JUN 2021 às 17h20
Boletim diário

Maringá registra 15 mortes pelo coronavírus nesta quarta (23)

23 JUN 2021 às 17h12
Fique atento

Maringá vacina população de 42 anos ou mais nesta quinta (24)

23 JUN 2021 às 16h42
'Sommelier de vacina'

Saúde de Londrina alerta que população não pode escolher vacina contra Covid-19

23 JUN 2021 às 16h25
Boletim da pandemia

Paraná passa de 30 mil mortes por Covid-19 e governo decreta luto oficial no Estado

23 JUN 2021 às 16h05
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados