16/06/21
PUBLICIDADE
Saiba mais

Entenda a importância de falar sobre o linfoma de Hodgkin

Como todo o tipo de linfoma, o Hodgkin acomete inicialmente os linfonodos, pequenos órgãos encarregados da condução do sistema linfático, que produz e transporta as células responsáveis pela imunidade por todo o corpo. Frente à propensão de propagação da doença, é importante que seja diagnosticada com a maior antecedência possível.

"Quando acometidos, os linfonodos aumentam de tamanho e em regiões onde eles se localizam mais superficialmente, tais como pescoço, axilas e virilhas, este aumento fica mais perceptível, fazendo com que o paciente procure atendimento médico e, por sua vez, o médico possa pensar no diagnóstico", explica Dra. Tânia Barreto, gerente médica da Takeda.

Alguns dos principais sintomas da doença são fadiga persistente, suores noturnos, perda de apetite e peso, inchaço dos gânglios e até mesmo maior sensibilidade a ingestão de álcool. A doença acomete, majoritariamente, os homens entre os 15 e 35 anos e não há uma causa específica identificada.

Tratamento
Entre os possíveis caminhos terapêuticos, a quimioterapia costuma ser a primeira opção. Administrada por via venosa, o objetivo é destruir as células tumorais e, em alguns casos, pode ser utilizada juntamente à radioterapia, caracterizada pela emissão de raios com alto teor de energia que irão cessar, ou destruir, estas mesmas células. No caso dos pacientes de Hodgkin, esses raios são direcionados para a área que tem os linfonodos afetados.

Caso estas medidas não sejam efetivas, se recorre ao transplante de células tronco, que tem o intuito de fornecer células saudáveis ao paciente utilizando suas próprias células. Este tipo de transplante se chama autólogo. Caso a doença progrida e ocorra o que é chamado de recidiva, é proposta uma nova linha de tratamento: a terapia-alvo. Se, mesmo assim, a doença continuar progredindo, o próximo passo é um transplante de medula óssea que é feito a partir de um doador. Nesse caso o transplante passa a ser denominado alogênico.

O grande diferencial da terapia-alvo é o direcionamento realizado apenas para as células cancerígenas do Linfoma de Hodgkin. É um tratamento específico que poupa as células sadias, diferentemente da quimioterapia convencional que ataca células doentes, mas também as saudáveis. "O medicamento tem uma distinção importante em sua seletividade no mecanismo de ação, explica Dra. Tânia.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Vacinação no PR

Idosos passam de maioria para um quarto dos internados nas UTIs do Paraná

15 JUN 2021 às 20h10
1.599 mortes pela doença

Londrina monitora 744 casos ativos de coronavírus; 234 internados

15 JUN 2021 às 18h46
Boletim diário

Maringá registra mais 10 mortes pelo novo coronavírus nesta terça

15 JUN 2021 às 18h10
Saiba mais

Variante do coronavírus identificada no interior já circulava desde janeiro em São Paulo

15 JUN 2021 às 16h34
340 óbitos

Boletim da Saúde indica recorde de mortes por coronavírus no Paraná

15 JUN 2021 às 15h37
Entenda o projeto!

Se passar, eu veto, diz Bolsonaro sobre projeto que cria 'passaporte da vacina'

15 JUN 2021 às 14h38
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados