Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Imunização

Existe vacina contra a esquistossomose?

Agência Saúde
26 jun 2012 às 14:45
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A criação de uma vacina contra a esquistossomose foi aprovada em sua primeira fase. Desenvolvida e patenteada pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), a vacina é eficaz também para a fasciolose - verminose que afeta o gado - e outras doenças causadas pelos helmintos.

A produção do imunizante se deu a partir da reconstrução da proteína Sm14. Esse antígeno é obtido a partir do Schistosoma mansoni - verme causador da doença na América Latina e na África - e é capaz de estimular a produção dos anticorpos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A segunda fase deve começar em breve, a partir de testes em larga escala com 226 indivíduos em áreas endêmicas do Brasil e da África. As quatro fases da produção devem ser concluídas em cerca de cinco anos, tempo estimado para garantir o acesso do imunizante às populações.

Leia mais:

Imagem de destaque
Confira!

Febre, calafrios e dores são principais efeitos colaterais da vacina da AstraZeneca

Imagem de destaque
Previna-se!

Esclareça suas dúvidas sobre Terçol

Imagem de destaque
Dia Mundial da Osteoporose

Conheça os mitos e verdades sobre a osteoporose

Imagem de destaque
Saiba mais

Quais os desafios de fazer uma vacina chegar à população?


Também conhecida como ''barriga d'água'', a doença considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como negligenciada atinge cerca de 200 milhões de pessoas no mundo, 2,5 milhões delas só no Brasil. Transmitida em locais de água doce parada ou com pouca correnteza, tendo a presença de caramujos infectados, a doença é causada por parasitos do gênero Schistosoma. O indivíduo infectado apresenta sintomas como dores de cabeça, enjoos, coceiras, dermatites, febre, além da dilatação do abdômen (em casos graves não frequentes).

O tratamento é feito com medicamentos antiparasitários, mas por se tratar de uma doença predominante em áreas de baixa infraestrutura sanitária, a reinfecção é um dos pontos graves.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade