31/05/20
25º/10ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Saiba mais

Mitos e verdades sobre a esclerose múltipla

A falta de informações e o excesso de dúvidas sobre a doença, que afeta os nervos ópticos, o cérebro e a medula espinhal, é uma das causas do diagnóstico tardio. Neurologista responde cinco questões-chave sobre o assunto

Lesões no cérebro, que levam a perda de massa cerebral ou à atrofia, essas são algumas das consequências que a Esclerose Múltipla pode causar ao longo dos anos. Embora o tema ganhe mais espaço em agosto, devido ao Dia Nacional de Conscientização à EscleroseMúltipla, celebrado no dia 30, muitos mitos ainda cercam o tema, o que prejudica o diagnóstico precoce.


Estima-se que no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 35 mil pessoas convivam com a doença. Desse montante, aproximadamente 13 mil estão atualmente em tratamento. O médico Maurício Hoshino, neurologista do Hospital Santa Catarina (SP), esclarece algumas questões-chave sobre a doença.

A esclerose múltipla sempre afeta a capacidade de falar e andar das pessoas? Mito. Nos casos mais graves, de fato, a fala e a mobilidade do paciente são afetados, porém, quanto antes for realizado o diagnóstico da doença, mas tempo hábil há para a realização do tratamento adequado.

Assim como o Parkinson, a esclerose múltipla é uma doença degenerativa? Mito. A doença é inflamatória e, de forma geral, podemos afirmar que acontecem nas pessoas surtos de inflamação a cada determinado período no cérebro, medula e/ou nervo óptico - que varia em cada quadro clínico. O próprio sistema imunológico da pessoa é responsável por essa inflamação, já que identifica uma determinada área do neurônio como algo a ser atingido.

A esclerose múltipla é autoimune? Verdade. É uma doença crônica e autoimune, que funciona de forma semelhante ao diabetes tipo 1, a psoríase e a tireoide. Por isso, é recomendado o tratamento com medicamentos que auxiliam a regular o sistema imunológico e também com anti-inflamatórios durante a fase aguda da doença.

A doença leva à demência? Mito. Essa questão é muito confundida pelas pessoas. Popularmente, o termo 'esclerosado' apenas contribui para essa errada associação. 'Esclerose' quer dizer cicatriz, que é causada após o surto de inflamação. Os sintomas, na maior parte das vezes, são as alterações visual e sensitiva, além da fraqueza.

A doença permite às pessoas ter uma vida ativa e produtiva?
Verdade. Tanto no aspecto intelectual e social, quanto no físico, é possível as pessoas terem uma vida ativa e produtiva. Ao contrário do que muitos acham, os casos de forte declínio intelectual são vistos apenas em poucos pacientes e somente depois de muitos anos da doença e uma forte carga de lesão.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Saiba mais
Maringá registra dois óbitos por Covid-19; total chega a 8
30/05/2020 18:01
Boletim da saúde
Com mais dois óbitos, Londrina chega a 24 mortes pelo novo coronavírus
30/05/2020 17:36
Boletim estadual
Com mais oito óbitos, Paraná chega a 181 mortes pela Covid-19
30/05/2020 17:17
Alerta!
Sociedade de Pediatria desaconselha cloroquina em crianças e adolescentes com Covid-19
30/05/2020 10:49
Mais de 27 mil mortes
Brasil supera Espanha e se torna o 5º país com mais mortes por coronavírus
29/05/2020 20:00
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados