05/08/20
25º/13ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Conscientização

Mitos e verdades sobre o transplante de medula óssea

O procedimento de transplante de medula óssea consiste em transplantar células tronco hematopoiéticas provenientes da medula óssea de um doador compatível com o paciente, como se fosse uma doação de sangue, mas sendo a doação de células-tronco. A doação é a esperança de cura para pacientes que sofrem de doenças benignas e malignas como leucemias, linfomas e tumores.

O diretor e membro do Comitê de Transplante de Medula Óssea da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), Angelo Maiolino, explica que um dos desafios que o Brasil possui não é a falta de doadores e sim a falta de leitos para a realização. "Atualmente existem poucos leitos especializados para o transplante de medula óssea, o que dificulta a realização quando o paciente encontra doador compatível, mas não um leito". De acordo com dados do site do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), ao todo o banco possui quatro milhões de doadores.


O especialista ressalta ainda a importância de manter o cadastro atualizado. "Quem tem a real intenção em ser doador de medula precisa estar com o cadastro atualizado. Isso porque às vezes o indivíduo pode mudar de endereço e não ser localizado quando necessário", finaliza Maiolino.

Conheça os mitos e verdades sobre o procedimento

É uma cirurgia?: Mito
O procedimento é uma transfusão venosa do material coletado do doador para o paciente que precisa do transplante.

O doador corre riscos?: Depende
Os riscos que o doador corre são poucos. As complicações podem ocorrer devido ao uso de anestesia.

Qualquer pessoa pode doar? Mito
Se o doador tiver algum tipo de câncer, doença de sangue ou no sistema imunológico a doação pode ser comprometida. Para a doação sem empecilhos, a pessoa precisa ter entre 18 e 55 anos e estar em bom estado de saúde.

Existe um registro nacional de doadores?: Verdade
Denominado por Redome, o banco reúne informações de pessoas dispostas a doar medula óssea a pacientes que precisam de transplante.

A recuperação do doador é demorada?: Depende
Em média, o doador poderá voltar ao trabalho em até 24 horas. Exceto nos casos em que a atividade do individuo seja com esforço físico intenso. Neste caso, o repouso terá que ser um pouco mais extenso.

É preciso de anestesia?: Verdade
Na maioria dos casos a anestesia geral é utilizada de forma que o paciente não sinta dor ou desconforto. Alguns pacientes são mais sensíveis que os outros e podem apresentar dor de cabeça, cansaço e uma leve dor no local da punção.

Existem dois tipos de doação?: Verdade
Autogênico e alogênico. O primeiro acontece quando a medula é do próprio paciente e a segunda ocorre de um doador para o paciente.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
CoronaVac
Mais cinco centros no Brasil iniciam testes com vacina chinesa
05 AGO 2020 às 15h40
Neste sábado
Agendamento para vacina contra o sarampo em Londrina já está liberado
05 AGO 2020 às 15h15
Veja a lista
Mais Médicos tem 121 vagas para 81 municípios do Paraná
05 AGO 2020 às 12h58
Confira
UBS do jardim Santiago reabre após reforma
05 AGO 2020 às 10h45
Temporários
Brasil abre 21 mil leitos de UTI durante pandemia, mas oferta ainda é desigual
05 AGO 2020 às 10h33
Pandemia no Brasil
Contágio acelerado de Covid-19 completa 15 semanas no Brasil, indicam cálculos
05 AGO 2020 às 10h04
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados