26/05/20
º/º
PUBLICIDADE
|
Prevenção

Redução de cárie implica na redução de açúcar

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é fundamental reduzir o consumo de açúcar para menos de 10% de todas as calorias diárias ingeridas, a fim de combater efetivamente o surgimento de cárie. Vale a pena ressaltar, também, que a OMS não se refere apenas ao açúcar que usamos para adoçar bebidas e preparar sobremesas, mas também aos alimentos que levam açúcar em sua composição, como refrigerantes, doces, balas, molhos, ketchup etc. Isto porque, em todas essas formas, o açúcar contribui para o enfraquecimento dos dentes e o aparecimento de lesões de cárie.

Não bastasse o açúcar estar associado a uma alimentação mais empobrecida do ponto de vista nutricional, ao ganho de peso e à obesidade, além de aumentar os riscos para doenças crônicas, ele é desastroso para a saúde bucal. "A rigor, não é o açúcar que estraga os dentes, mas o ácido produzido quando ingerimos açúcares e carboidratos que se fixam nos dentes através do biofilme (placa dental). Esse ácido ataca o esmalte dos dentes de forma bastante agressiva, podendo resultar em lesões de cárie e outros problemas orais mais graves", diz a odontopediatra Helenice Biancalana, vice-presidente da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD).


A especialista afirma que a cárie é uma doença considerada açúcar-dependente. Portanto, é necessário ter a presença do açúcar na boca associada à falta de higienização (escovação) para pôr em risco a saúde bucal. "O risco é evidente quando as pessoas, especialmente as crianças, consomem balas, refrigerantes e guloseimas entre as principais refeições". Sendo assim, além de reduzir a ingestão desses produtos, a especialista recomenda escovar os dentes imediatamente depois de se alimentar, lembrando-se de jamais ir para a cama sem providenciar uma higiene bucal completa.

Helenice também adverte os pais que complementam a alimentação de seus filhos com vários sucos de caixinha e achocolatados ao longo do dia. "Às vezes, os pais se rendem a alimentos de fácil acesso, mas se eles prestassem atenção ao tanto de açúcar que contêm essas bebidas, parariam imediatamente de dá-las às crianças", pondera a especialista. Para os adultos, recomenda-se reduzir a ingestão de café e chá durante o dia. "Se a pessoa tem o hábito de tomar café de hora em hora durante o expediente, é mais importante ainda prestar atenção não só no açúcar, como no tanino – que mancha o esmalte dos dentes. Essa é outra combinação terrível, inimiga do sorriso saudável".

Na opinião da odontopediatra, é necessário acostumar as crianças, desde bem pequenas, a ingerir bastante água durante o dia. Além de fazer bem para a saúde, é ótimo para os dentes. "Uma grande qualidade da água é sua capacidade de ‘lavar’ a boca, impedindo altas concentrações de bactérias que resultam em formação de lesões de cárie, gengivite, inflamações e infecções bucais oportunistas. Mas, atenção: a água engarrafada não tem a mesma concentração de flúor que a água potável, tratada e distribuída nas residências brasileiras. E é graças ao flúor que a estrutura dos dentes se torna mais resistente à formação de cárie. Sendo assim, o ideal é encher várias vezes ao dia uma garrafinha com água para se hidratar como se deve, independentemente da idade."
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Boletim
Brasil registra 807 novas mortes por coronavírus; total passa de 23 mil
25/05/2020 20:25
Boletim da prefeitura
Londrina se aproxima de 300 casos confirmados de Covid-19
25/05/2020 18:43
Entenda
Lágrimas podem transmitir o novo coronavírus
25/05/2020 11:21
Entenda o estudo
Esgoto pode indicar percentual de contaminados pela Covid-19
25/05/2020 10:32
Ineficácia dos protocolos
Estudo identifica que cloroquina aumenta risco de arritmia cardíaca
25/05/2020 09:52
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados