26/02/21
PUBLICIDADE
Pesquisas recentes

Saiba como as pombas podem ajudar a detectar câncer de mama

Pesquisas recentes apontaram que pombas teriam a capacidade de identificar tecido canceroso em mamografias e imagens digitalizadas. Um estudo, divulgado na publicação científica Plos One, apontou que pombas acertaram 99% dos casos.

As pesquisas, lideradas pelo professor de patologia Richard Levenson, da Universidade da Califórnia, demonstraram que estas aves são capazes de distinguir entre tecido saudável e tecido canceroso.


Em um dos experimentos, a equipe de Levenson apresentou 144 imagens em preto e branco e em cores a oito pombas. Após cada imagem, a ave deveria optar por uma tela azul ou amarela para indicar a qual categoria o tecido pertencia - saudável ou doente.

Divulgação
Divulgação


Cada acerto foi recompensado com comida. No caso de erro, as pombas seguiam vendo imagens. Em duas semanas, a precisão aumentou de 50% a 85%. Para evitar que as aves pudessem identificar as imagens por memorização, novas foram intercaladas. O segundo experimento, para identificação de microcalcificações, que são geralmente associadas à presença de câncer, também foi exitoso.

Nem a ausência de cor nem a mudança na compreensão das imagens afetou a habilidade das pombas, segundo o estudo. As respostas combinadas das oito aves deram um resultado final de 99% de precisão.

O único teste que mostrou resultados menos animadores foi um no qual os animais deveriam identificar massas suspeitas nas mamografias: conseguiram detectar sua presença, mas não determinaram se eram benignas ou malignas.

Há de se reconhecer, no entanto, que esta é uma tarefa extremamente difícil, inclusive para radiologistas com muita experiência.

Pombas no consultório?
Como é possível que um animal com um cérebro menor que a ponta de um dedo possa, depois de 25 dias de treinamento, colocar-se no mesmo nível de um radiologista experiente com anos de estudo?

Apesar do tamanho do cérebro, as aves têm uma grande inteligência visual que supera a de humanos. Enquanto os nossos olhos têm três receptores de cores, os destas aves possuem cinco. Além disso, estes animais têm uma visão periférica melhor que a de seres humanos, disse Edward Wasserman, professor da Universidade de Iowa e co-autor do estudo.

Apesar disso, o talento recém-descoberto das pombas não significa que elas poderão substituir os radiologistas em consultórios médicos. Pesquisadores acreditam, porém, que as aves poderão ser usadas para ajudar engenheiros a avaliar novas técnicas de análise por imagens.

(com informações do site BBC)
Redação Bonde
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Atendimento virtual

Resolução da Sesa estabelece novas regras para atividades religiosas

26 FEV 2021 às 19h57
Boletim diário

Londrina registra mais oito mortes por Covid-19 e se aproxima dos 37 mil casos

26 FEV 2021 às 19h43
15 P1 e dois B.1.1.7

Mais 17 casos de variantes da Covid-19 são confirmadas no Paraná

26 FEV 2021 às 19h29
Entenda!

Brasil vive tragédia e presença de variantes não é desculpa, afirma OMS

26 FEV 2021 às 16h33
Boletim

Paraná registra mais 74 mortes e 4.550 casos de Covid-19; imunizados já são mais de 396 mil

26 FEV 2021 às 16h03
Saiba mais

Paraná ativa mais 258 leitos para atendimento da Covid-19

26 FEV 2021 às 15h44
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados