29/09/20
Cuidar do sono

Saiba qual melhor forma para acostumar com o horário de verão

O horário brasileiro de verão se estende até o dia 17 de fevereiro. Com a chegada do período - marcado pelos dias mais longos - alguns cuidados com a saúde devem ser tomados para amenizar o impacto da mudança de horário no organismo, que normalmente sofre com a alteração por pelo menos uma semana.

Dentre as precauções que devem ser tomadas, a médica Aliciane Mota, do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (Iborl) defende que o ideal é que a adaptação comece uma semana antes, mas caso não haja tempo suficiente, a recomendação é tentar manter a regularidade na hora de dormir e até mesmo de comer, mesmo que não haja apetite.


A médica também sugere que a alimentação se baseie em refeições leves com alimentos de elevada carga hídrica e grande ingestão de líquidos. "Devemos optar sempre por uma alimentação mais leve e caprichar na ingestão de líquido. Pois com os dias mais longos e a alta exposição à luz solar, nosso corpo sofre mais com a desidratação e acaba nos deixando bem mais cansados".

Aliciane alerta para o uso de medicamentos para dormir durante o período, pois impedem que a fase profunda do sono ocorra, deixando o usuário mais cansado no dia seguinte. "Certas medicações fazem com que a pessoa durma com maior facilidade e por mais tempo durante a noite, mas é neste momento em que ocorrem os picos de sono que acabam sendo reprimidos pelo medicamento, atrapalhando a fase profunda do sono", alerta a médica.

Outros cuidados que devem ser tomados antes de dormir incluem evitar alimentos estimulantes como refrigerantes, chocolates, comidas pesadas e que contenham cafeína, e procurar não praticar exercícios físicos nas três horas que antecedem o sono, pois eles retardam sua chegada e estimulam o organismo.

Crianças
É normal que os efeitos do horário de verão afetem mais as crianças que tendem a sofrer mais no processo de adaptação. Segundo a Aliciane Mota, uma saída é que os pais tentem ser mais firmes na regularidade dos hábitos dos filhos.

Já sobre a alimentação, a médica defende que é normal que elas tenham problemas no início. "É interessante deixar que a criança coma até um pouco mais do que o normal ou do que gosta. Isso evita que ela fique tanto tempo sem comer".
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
29 de setembro
Dia Mundial do Coração reforça importância da prevenção
29 SET 2020 às 09h38
Entenda
Ministério da Saúde agora quer 'dia D' com 'aula virtual' a médicos sobre cloroquina
29 SET 2020 às 09h33
Preocupante
Mundo chega a 1.000.000 de mortes pelo coronavírus
29 SET 2020 às 09h09
Vírus
Silencioso, Covid-19 seguiu por rotas aéreas para se tornar pandemia
29 SET 2020 às 09h04
Pandemia
Brasil chega a 142 mil mortes pela Covid-19, mostra consórcio de imprensa
29 SET 2020 às 09h00
Boletim
Arapongas confirma 102º óbito por Covid-19; 4.275 casos
28 SET 2020 às 21h18
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados