28/10/20
RETENÇÃO URINÁRIA

Segurar a urina por muito tempo pode ser prejudicial?

Como a bexiga é um órgão oco, seus vasos sanguíneos correm através de suas paredes e são apertados toda as vezes em que ela está muito cheia

A resposta pode ser respondida apenas com um sim. Mas vamos entender por que e qual o tipo de pessoas que podem ter mais prejuízos. A ciência, cada vez mais, descobre a complexidade da bexiga. Há alguns anos, imaginava-se que este órgão funcionasse somente como um reservatório de urina, expulsando-a de acordo com as ordens cerebrais. A percepção da bexiga cheia aconteceria por estímulos de seu nervo até a medula, e daí para o cérebro. Este, por sua vez, emitiria uma mensagem, liberando a contração vesical, ou mantendo-a relaxada até o momento adequado de esvaziamento.

Atualmente, sabemos que existem pelo menos uma dezena de substâncias que influem nessa rede de transmissão e que por meio das paredes da bexiga uma série de substâncias são absorvidas e células de defesa migram para a sua proteção.


Como a bexiga é um órgão oco, seus vasos sanguíneos correm através de suas paredes e são apertados toda as vezes em que ela está muito cheia. Assim, as substâncias que regulam a contração da bexiga, as células de defesa e o oxigênio fluem em menor quantidade quando a bexiga está muito cheia.

Para a maioria das pessoas, a retenção de urina voluntária não chega a causar o mau funcionamento da bexiga, pois a pessoa começa a sentir dores e urgência miccional. Porém, existem doenças neurológicas, ou dos órgãos urinários, que provocam retenções urinárias crônicas, alterando o funcionamento do músculo da bexiga de modo irreversível.

Por estarem mais sujeitas a infecções urinárias, as mulheres são mais afetadas pela retenção da urina. O ato de urinar é uma das principais defesas contra as infecções urinárias, lavando a bexiga das bactérias indesejadas que penetraram no seu interior. Quanto mais uma mulher urina, mais se protege das bactérias, em geral intestinais, que podem proliferar na vagina e invadir a bexiga.

Existe mais risco para a saúde da mulher em reter a urina do que em urinar em banheiros públicos. O ideal é que se urine sempre antes da sensação dolorosa surgir, ou seja, apenas com a percepção de que a bexiga está cheia.

Sílvio Henrique Maia de Almeida, urologista
Sua Saúde-Folha de Londrina
Continue lendo
Boletim diário

Londrina atinge 310 óbitos em decorrência do novo coronavírus

28 OUT 2020 às 18h20
Boletim da sesa

Paraná confirma 1.349 novos casos e 18 óbitos pela Covid-19

28 OUT 2020 às 16h47
Nenhum óbito

Maringá registra mais 42 casos da Covid-19 nesta quarta-feira

28 OUT 2020 às 16h00
Variação genética

DNA das populações da África é mapeado com riqueza inédita em novo estudo

28 OUT 2020 às 15h07
Concessão das UBSs

Governo Federal tenta conter crise gerada por decreto que prevê privatização do SUS

28 OUT 2020 às 14h38
PUBLIEDITORIAL

Yoga e câimbras musculares: a causa e o tratamento

28 OUT 2020 às 12h45
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados