23/10/17
30º/14ºLONDRINA
PUBLICIDADE
19/06/2017 08:47
62 mortos

Quase 2 mil bombeiros combatem incêndio no centro de Portugal

Um incêndio florestal de grandes proporções, iniciado na tarde do último sábado (17), já deixou 62 mortos no distrito de Leiria, na região central de Portugal, informou neste domingo (18) o Secretário de Administração Interna de Portugal, Jorge Gomes. O governo português decretou três dias de luto nacional. O primeiro-ministro, António Costa, visitou a região atingida e disse que "seguramente é a maior tragédia nacional" dos últimos anos no país.

Quase 2 mil bombeiros continuam combatendo o fogo, nesta segunda-feira (19), no centro de Portugal.

O maior número de vítimas foi registrado na vila de Pedrogão Grande, mas o fogo se alastrou também pelas de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera. Segundo Jorge Gomes, o incêndio tem quatro frentes ativas, duas das quais de "extrema violência". Balanços tem sido divulgados de hora em hora e o número de vítimas pode aumentar. Os últimos dados oficiais atualizaram para 62 o número de mortos e 62 o de feridos, dois dos quais permanecem em estado grave.


Reprodução/YouTube
Reprodução/YouTube


Espera-se que ao longo da manhã cheguem mais dois aviões procedentes da Espanha, além de ajuda da França, para controlar a situação. Os incêndios florestais em Portugal são comuns durante o verão europeu. No sábado, uma onda de calor elevou as temperaturas a patamares acima dos 40 graus Celsius.

A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, e o primeiro-ministro da Espanha, Manoel Rajoy, ligaram para o primeiro-ministro português, António Costa, para prestar solidariedade e oferecer ajuda.

A causa mais provável do incêndio foi a queda de um raio em uma árvore eca, que posteriormente foi espalhado pelos fortes ventos que atingem a região, segundo disseram fontes da Polícia Judicial à Agência EFE.
Agência Brasil
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
PUBLICIDADE
8
Continue Lendo
PUBLICIDADE