23/07/17
24º/12ºLONDRINA
20/03/2017 18:11
Inspeção reforçada

Vigilância Sanitária intensifica fiscalização de produtos no comércio no Paraná

A Vigilância Sanitária Estadual (Visa) reforça a inspeção e a fiscalização de produtos de origem animal para evitar o comércio irregular. A Secretaria de Estado da Saúde solicitou à Polícia Federal e ao Ministério da Agricultura mais informações sobre os itens alvo de operação deflagrada pela PF na sexta-feira (17).

"Desde sempre, nosso trabalho coloca a saúde da população paranaense em primeiro lugar. E não vai ser diferente agora. Pedimos mais detalhes sobre os produtos investigados para saber se eles estão no mercado e para que possamos intensificar a inspeção dessas mercadorias no comércio", ressalta o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

A Vigilância Sanitária Estadual também está orientando os órgãos municipais para que reforcem as fiscalizações em estabelecimentos comerciais, como supermercados, panificadoras, açougues e restaurantes.


"No comércio, verificamos a procedência do produto, se ele tem o selo de inspeção fiscal, o armazenamento, a conservação, a higiene e a data de validade. Enfim, se atende às exigências necessárias para sua comercialização", explica o coordenador da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Santana. A partir disso, acrescenta, são tomadas as providências adequadas de acordo com o problema verificado, como multas ou, até mesmo, interdições cautelares. "A interdição cautelar é uma orientação da Visa para que o comerciante retire da área de venda os lotes de produtos sob suspeita de irregularidade", falou.

Já a fiscalização antes da comercialização, ou seja, durante as etapas de criação, abate, produção e distribuição dos produtos de origem animal, é de responsabilidade dos órgãos relacionados ao Ministério e secretarias da Agricultura.

Amostras – Nesta segunda-feira (20) foi solicitada à Prefeitura de Curitiba a coleta de amostras de marcas variadas de alguns produtos que foram denunciados na operação da Polícia Federal, como salsichas, linguiças, presuntos e salames. As amostras deverão ser entregues ao Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR) até esta terça-feira (21) e um segundo lote até terça-feira (28) da próxima semana.

Santana conta que, em um primeiro momento, essas amostras serão recolhidas na Capital do Estado. "Por serem produtos nacionais, o que circula na Capital é o mesmo que está sendo comercializado em outros locais do Paraná. Para facilitar a logística e acelerar o processo, optamos por fazer essa primeira coleta em Curitiba".

"As investigações variam de acordo com a legislação específica para cada tipo de alimento, mas são análises físico-químicas e microbiológicas, que verificam aspecto visual, odor, umidade, estado de conservação e a contaminação bacteriana, por exemplo", explica o chefe da Divisão de Laboratórios de Vigilância Sanitária, André Dedecek. Os resultados das análises devem sair em sete dias.

Recomendação – Os cidadãos que comprarem produtos de origem bovina, suína ou frango devem sempre observar o cheiro, a textura e a coloração desses alimentos. Também é importante verificar a data de validade e a presença do selo de inspeção fiscal. Se algum problema for verificado, é recomendado entrar em contato com a vigilância sanitária do município ou com a Ouvidoria da Secretaria de Estado da Saúde pelo telefone 0800 644 4414.
Redação Bonde com AEN
comentários
Abaixo, usuários do Facebook que interagiram com as notícias no Bonde
Plugin gerado com dados do Facebook com a App - Última atualização: 20/07/2017 11:16
Continue lendo
Veja mais e a capa do canal
Hospedado pela: