10/12/19
º/º
PUBLICIDADE
Edison  Yamazaki
Edison  Yamazaki
19/05/2019 - 09:25
Imprimir Comunicar erro mais opções
Depois da definição de que as Olimpíadas serão realizadas no Japão, o país passou a incentivar a prática esportiva como nunca visto antes. O investimento está sendo maciço com a criação de ligas profissionais de vários esportes e no treinamento dos atletas que já carimbaram o lugar na delegação olímpica.
Apesar de todo esforço, o Japão ainda peca pela falta de uma "tradição esportiva" profissional e competitiva. O esporte por aqui é muito mais educativo do que competitivo, razão das escolas (colégios e universidades) serem o grande celeiro de futuros atletas, fornecendo mão de obra para as equipes profissionais de quase todas as modalidades.
O que não está acompanhando o progresso esportivo na mesma velocidade são os árbitros, seja de que esporte for. Os erros são grotescos em todos os níveis, dos campeonato estudantis até o profissional. Acredito que muitos nunca praticaram o esporte que apitam, pois pecam exageradamente na interpretação de lances como obstrução, vantagem, impedimento e outras ações que diferem um pouco do que dizem os livros de regras.
Na décima primeira rodada da J.League realizada neste sábado, aconteceu o que parecia impossível. No jogo entre o Mitsubishi Red Diamond e Hiratsuka Bellmare houve um erro gravíssimo, quando o árbitro não validou um gol do Bellmare. Depois do chute rasteiro a bola bateu na trave e foi para a rede. O atacante vibrou, o zagueiro ficou lamentando, enquanto o goleiro foi buscar a bola dentro do gol para recolocá-la no circulo central. O gol foi tão claro que nenhum jogador ou público teve dúvidas do ocorrido.
Acontece que o "dono do apito" mesmo vendo todas as reações dos atletas, não conseguiu interpretar que a bola havia entrado e mandou o jogo seguir. Nenhuma das equipes acreditou no que estava acontecendo, até que perceberam que a bola estava em jogo.
As reclamações foram muitas, mas o árbitro não voltou atrás e tão pouco reconheceu que havia errado.
Num país com mais tradição esportiva, um erro tão grave como esse seria punido com o afastamento temporário do árbitro, alegando a necessidade de uma reciclagem, mas aqui nada acontece, e os jogos e jogadores vão sendo prejudicados dia após dia.
Acho que não deve haver nada mais do que falta de experiência e competência, mas é sempre bom ficar de olho para ver até onde tudo isso pode chegar porque até o presidente do Comite Olímpico japonês foi afastado sob suspeita de corrupção.

Red Diamond e Bellmare
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Edison Yamazaki
 
Paulistano, preferiu contribuir com o esporte desistindo de ser atleta para estudar Educação Física. Foi da convivência com os seus alunos que ele entendeu que toda emoção que viveu dentro das quadras, dos campos, das pistas e das piscinas é muito mais abrangente do que somente vencer ou perder. Descobriu que as relações humanas e as amizades são tão importantes quanto à saúde e o bem estar. Com isso na cabeça foi para o outro lado mundo e hoje vive em Kyoto.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE