07/04/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Marden Machado
Marden Machado
26/02/2020 - 00:34
Imprimir Comunicar erro mais opções


Hollywood adora cinebiografias. E mais ainda quando elas tratam de astros e estrelas de sua era de ouro. Judy Garland foi um dos maiores nomes da indústria de cinema hollywoodiana e qualquer obra que tivesse sua vida como inspiração chamaria a atenção. É o caso de Judy: Muito Além do Arco-Íris, que teve a direção do britânico Rupert Gold. O roteiro de Tom Edge se baseia na peça End of the Rainbow, de autoria de Peter Quilter e aborda o último ano de vida da atriz e cantora famosa por O Mágico de Oz e pela segunda versão de Nasce Uma Estrela. No papel-título, Renée Zellweger volta aos holofotes depois de afastada por um tempo e Hollywood adora isso também. E quando uma atriz volta à ativa representando um grande nome do passado e com uma atuação precisa e forte, os membros da Academia não costumam deixar um esforço desses passar em branco. Resultado: Zellweger ganhou o Oscar de melhor atriz por esse papel. O filme em si tem problemas de narrativa e ritmo, mas, o desempenho de sua atriz principal mantém nosso interesse até o fim.

JUDY: MUITO ALÉM DO ARCO-ÍRIS (Judy – Inglaterra/EUA 2019). Direção: Rupert Gold. Elenco: Renée Zellweger, Jessie Buckley, Finn Wittrock, Rufus Sewell, Michael Gambon, Richard Cordery, Royce Pierreson e Darci Shaw. Duração: 118 minutos. Distribuição: Paris Filmes.
COMENTE ESTE POST

 Caracteres restantes : 2000
Marden Machado
 
Escrevo, todos os dias, sobre um filme, complementando minha participação nos programas Light News (na rádio Transamérica Light FM - 95,1), na rádio CBN Curitiba (90,1 FM), no programa Caldo de Cultura (UFPR TV - canais 15 da NET, 71 da TVA ou via web no http://www.tv.ufpr.br/), e no canal http://www.youtube.com/cinemarden.



ARQUIVO
Mês
Ano
AVISO: Opiniões e informações contidas nos blogs hospedados nesta plataforma são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem os valores do Portal Bonde.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE