Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Nova etapa

Porto Alegre tem lama e cheiro de peixe morto após água começar a baixar

Carlos Villela - Folhapress
15 mai 2024 às 15:46
- Mauricio Tonetto/Secom
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O recuo do alagamento em bairros de Porto Alegre deu início nesta quarta-feira (15) a uma nova etapa na limpeza de prédios e ruas. Alguns moradores dos bairros Cidade Baixa, Praia de Belas e Azenha já conseguiram acessar suas casas e agora precisam encaram a lama e o cheiro de peixe morto que ficou pelas ruas.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Leia mais:

Imagem de destaque
Feriado

Corpus Christi: Central de Atendimento dos Correios estará disponível pelos canais automatizados

Imagem de destaque
56% das crianças alfabetizadas

Brasil recupera desempenho de alfabetização do período pré-pandêmico

Imagem de destaque
Confira os números por bioma!

Área desmatada no Brasil em 2023 cai 11,6%, aponta MapBiomas

Imagem de destaque
E por intimidação

Homem vira réu após xingar Felipe Neto ao vê-lo em apostila de escola

Na rua 17 de Junho, no bairro Praia de Belas, a jornalista Cristine Pires conta que seu prédio ficou com o térreo e parte dos degraus da escada cobertos de lama. Agora, ela e os vizinhos estão se planejando para iniciar a limpeza pesada.

Publicidade


"A ideia é reunir os moradores para fazermos uma força-tarefa, mas por enquanto não tem como, pois estamos sem luz e vamos precisar de lava-jato", disse. "Ontem só passamos um rodo para tirar o mais grosso da sujeira. O cheiro de podridão é muito forte porque tem muitos peixes mortos pelo chão, alguns inclusive no pátio do meu prédio."


Na rua José Honorato dos Santos, no bairro Azenha, a água baixou mais de 50 cm e já abriu caminho para a passagem de um caminhão-guincho, que buscava um carro com lama até o teto. A água ainda transborda por bueiros próximos dali, mas o escoamento rápido das bocas de lobo impede uma nova inundação.

Publicidade


O mau cheiro nas redondezas é forte. Na avenida Érico Veríssimo, há peixes mortos pela ciclovia.


Na rua André Belo, paralela à 17 de Junho, pessoas estão retornando às suas casas para ver o tamanho do estrago. "A faxina não vai ser agora", diz a moradora Sueli Silva. "Ainda tem muita coisa para tirar".

Publicidade


O alagamento no apartamento térreo chegou a pouco mais de 30 centímetros, o suficiente para estragar diversos móveis. A prioridade será primeiro remover o entulho, para daí começar a limpeza.


O que possibilita o início da faxina é o conserto gradativo das EBAPs (Estações de Bombeamento de Água Pluvial). Das 23 EBAPs, 9 estão em funcionamento, dentre elas a que permite a captação da água na região.

Publicidade


A expectativa é que entre esta quarta e a quinta-feira (16), moradores de alguns pontos alagados na zona norte também possam começar a faxina.


A casa de bomba 5, que abrange o Humaitá e a Vila Farrapos, foi religada na manhã desta quarta, o que deve reduzir o nível da água e facilitar a reativação de outras estações, como a 6 (bairro Anchieta), a 8 (Vila Farrapos), a 9 (Várzea do Sarandi), e a 10 (Vilas Elizabeth, União e Nova Brasília)


De acordo com o Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgotos), o trabalho é feito do centro em direção aos bairros para isolar as águas e acessar as estações de bombeamento da região.


Imagem
Símbolo da tragédia no Rio Grande do Sul, cavalo Caramelo supera desidratação, mas segue abaixo do peso
O cavalo Caramelo, que foi resgatado de cima do telhado de uma casa em Canoas, no Rio Grande do Sul, está em boas condições de saúde e segue sem precisar de medicações.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade