Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Revisão

Após freira ser proibida em Cascavel, Contran permite uso de iten religiosos na foto da CNH

Agência Brasil
08 abr 2024 às 18:21
- Marcello Casal jr./Agência Brasil
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta segunda-feira (8) regra que passa a permitir que os motoristas usem itens de vestuário que cubram parte do rosto e da cabeça na foto da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), desde que seja por motivos religiosos, de crença, queda de cabelo decorrente de doenças ou tratamento médico.


De acordo com a Resolução nº 1.006, os itens de vestuário relacionados à crença ou religião, como véus e hábitos, e relacionados à queda de cabelo por causa de doenças e tratamento médico poderão ser utilizados nas fotos usadas para tirar o documento ou renová-lo, porém a face, a testa e o queixo precisam ficar visíveis.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A legislação mantém a proibição para utilização de óculos, bonés, gorros e chapéus nas fotos da carteira de motorista.

Leia mais:

Imagem de destaque
Dia do Alberguista

Conheça 10 hostels para se hospedar em São Paulo

Imagem de destaque
Defesa Civil

Mais de 2 milhões de pessoas foram afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul

Imagem de destaque
SOS RS

UEL recruta voluntários para ajudar na triagem de donativos para o RS

Imagem de destaque
A pedido de 15 clubes

CBF suspende rodadas 7 e 8 da Série A do Campeonato Brasileiro


Em fevereiro deste ano, a Advocacia-Geral da União (AGU) enviou documento ao Supremo Tribunal Federal (STF) em que informava a intenção do governo federal de alterar as normas sobre trajes religiosos em fotos da CNH. Na ocasião, a AGU argumentou que medida é para respeitar a liberdade religiosa e facilitar o reconhecimento dos cidadãos pelas autoridades de segurança pública, além de ressaltar que não é vedado o uso de roupas religiosas para emissão da carteira de identidade e do passaporte.


No mesmo mês, o STF iniciou julgamento de ação sobre permissão para uso de trajes religiosos que cobrem rosto e cabeça em fotografias de documentos oficiais.  O processo teve origem após uma freira ser impedida de tirar a foto para renovação da CNH vestida com o hábito religioso, em Cascavel (PR).


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade