Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
No litoral

Dez bandidos são mortos em confrontos com a Polícia Militar de São Paulo

Agência Estado
18 mar 2014 às 20:44
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Subiu para 10 o número de bandidos mortos durante confrontos com a Polícia Militar na manhã desta terça-feira (18) após uma quadrilha formada entre 12 a 18 homens, fortemente armada, ter explodido seis caixas eletrônicos e roubar três lojas no Serramar Shopping, em Caraguatatuba, litoral norte de São Paulo, durante a madrugada de sábado (15). As mortes de ontem ocorreram em Caraguatatuba e em Biritiba Mirim, na região de Mogi das Cruzes. Os bandidos fugiram para uma região de mata fechada, próxima ao shopping, mas se perderam ao pegar uma estrada de terra sem saída, onde foram encurralados pela polícia. Na segunda-feira (17) quatro bandidos já haviam sido mortos após troca de tiros com a PM no local.

Desde sábado, policiais do litoral norte, da Força Tática de São José dos Campos, do Comando de Operações Especiais (COE) de São Paulo, da Polícia Civil e Ambiental, além de um helicóptero Águia, iniciaram uma caçada aos bandidos. O primeiro confronto desta terça-feira ocorreu por volta das 6h30 da manhã, quando parte do bando foi surpreendida por policiais do COE embrenhados na mata. Segundo o coronel Cassio Armani, da Polícia Militar, os criminosos resistiram à ordem de prisão e atiraram contra os policiais. Na troca de tiros, três dos bandidos foram baleados e chegaram sem vida ao pronto-socorro. Momentos antes, um carro pertencente à Petrobras, que possui uma estrada privativa na região por conta dos oleodutos, foi roubado pelos criminosos. Os ocupantes foram rendidos. A Kombi seguiu sentido à cidade de Salesópolis, na região de Mogi das Cruzes.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Cidade sitiada

Leia mais:

Imagem de destaque
363 yanomamis morreram

Um ano foi insuficiente para lidar com toda situação em terra yanomami, diz Guajajara

Imagem de destaque
Redução na taxa

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Imagem de destaque
Após cirurgia

Morre, aos 84 anos, o economista Affonso Celso Pastore, que presidiu o BC nos anos 1980

Imagem de destaque
Estrategia de marketing

Procon-SP pede explicações do McDonalds por sumiço do McFish


Em Biritiba Mirim, eles foram cercados pela PM, que chegou até o local após o helicóptero Águia acompanhar o trajeto do carro roubado. Os bandidos, porém, conseguiram furar o cerco, bateram o carro e saíram atirando. Eles invadiram uma escola durante o período de aulas e uma base da Polícia Militar, onde mantiveram uma cozinheira refém. A pequena cidade de 20 mil habitantes ficou sitiada. Após horas de negociação, dois bandidos se entregaram, mas outros dois resistiram e foram mortos. Nesta ação, dois policiais militares também foram atingidos pelos tiros nas pernas, mas passam bem. A cozinheira ficou bastante ferida e foi encaminhada ao pronto-socorro local. Até às 13h desta terça-feira, 18, o saldo do quarto dia de operação era de 9 criminosos mortos (sete em Caraguatatuba e dois em Biritiba Mirim), quatro presos e dois PMs atingidos por tiros. Por volta das 18h, a polícia informou que um décimo bandido havia sido morto após nova troca de tiros. Não foram divulgadas informações sobre essa última morte.

Cinco armas, dois fuzis e R$ 125 mil já foram recuperados pela polícia, além dos relógios e celulares que foram furtados do shopping. As buscas continuam aos outros bandidos foragidos. Segundo a delegada seccional do litoral norte, Nilze Batista Scapulatiello, os vigias do shopping já foram ouvidos e reconheceram os bandidos mortos. "Decretei a prisão temporária por cinco dias dos homens que foram presos e a Polícia Civil está em situação de alerta, afinal, a quadrilha teve 10 baixas e certamente sofreremos represálias", afirmou. Os cinco bandidos presos estão no Distrito Policial de Caraguatatuba, já que os agentes penitenciários do Centro de Detenção Provisória (CDP) estão greve e todos os detidos do litoral norte estão sendo mantidos no DP. A Polícia Civil também teme uma possível invasão do distrito para resgate de presos.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade