Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Vulnerabilidade

Governo lança programa para construir casas de acolhimento para população LGBTQIA+ em risco

Renato Machado - Folhapress
07 dez 2023 às 09:17
- Ubirajara Machado/MDS/Agência Senado
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania lançou nesta quinta-feira (7) um programa para construir casas de acolhimento para a população LGBTQIA+ que esteja em situação de vulnerabilidade e risco.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Essa ação é parte da Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+, também lançada nesta quinta, que busca combater as diversas violências e discriminações sofridas por essas pessoas.

Leia mais:

Imagem de destaque
AMAZÔNIA É A MAIS AFETADA

Área queimada no Brasil tem aumento de 248% em relação a janeiro de 2023

Imagem de destaque
363 yanomamis morreram

Um ano foi insuficiente para lidar com toda situação em terra yanomami, diz Guajajara

Imagem de destaque
Redução na taxa

Desmatamento na Amazônia cai 60% em janeiro deste ano

Imagem de destaque
Após cirurgia

Morre, aos 84 anos, o economista Affonso Celso Pastore, que presidiu o BC nos anos 1980


Outro programa que integra a estratégia terá como objetivo criar uma rede de enfrentamento à violência contra esse público.

Publicidade


As portarias que criaram a estratégia nacional e o programa específico que trata das casas de acolhimento foram publicadas no Diário Oficial da União.


Segundo os atos, os programas referentes à estratégia terão como objetivo desenvolver diretrizes para atender e acolher esse público, a partir da "identificação, implementação e testagem" de serviços destinados a enfrentar a violência.

Publicidade


O governo federal também prevê prestar um "suporte emergencial" aos serviços que estão atualmente em curso, em particular aqueles desenvolvidos pela sociedade civil. Ainda não foi divulgado como se dará esse auxílio.


Também determina criação de políticas de Estado para atender as pessoas LGBTQIA+ que sejam vítimas de violência ou que estejam em situação de risco social. Essas políticas terão foco em assistência, saúde, cidadania, cultura, segurança pública e Justiça.

Publicidade


O programa visa formar uma rede de enfrentamento à violência contra pessoas LGBTQIA+, a partir da articulação dos serviços públicos e as ações desenvolvidas pela sociedade civil.


Além disso, prevê construir casas de acolhida para quem esteja em situação de vulnerabilidade ou risco social, em decorrência de abandono ou rompimento de vínculos familiares e comunitários.

Publicidade


As casas do Acolher + (Programa Nacional de Fortalecimento das Casas de Acolhimento LGBTQIA+) atenderão pessoas com idades entre 18 e 65 anos que possuam condições de autonomia em autocuidado, mas que estejam em situação de vulnerabilidade.


As instituições devem dar prioridade para as pessoas com "vulnerabilidade acrescida", por conta de outros marcadores sociais, como os de raça e etnia, território, classe, gênero, idade, religiosidade, deficiência.


O programa prevê inicialmente o mapeamento das casas de acolhimento já existentes, o suporte emergencial às instituições com essa finalidade da sociedade civil, o incentivo à institucionalização das casas de acolhimento LGBTQIA+ e a implementação de novas entidades em parcerias com estados, municípios em diferentes regiões do país.


Imagem
Ônibus de graça em Londrina envolve questões além de fontes de custeio, aponta urbanista
O debate sobre a possibilidade de se implantar a chamada “tarifa zero” no transporte coletivo de Londrina começou a movimentar o cenário público novamente.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade