Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Em cargas apreendidas

Inmetro desenvolve produtos para auxiliar polícia na identificação de drogas

Folhapress
11 abr 2024 às 19:23
- PMPR/Arquivo - Ilustrativo
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) desenvolveu dois novos reagentes para identificar traços de cafeína e metanfetamina em cargas de drogas apreendidas em todo o país.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Por ter ação estimulante, alguns traficantes adicionam cafeína à cocaína para aumentar a quantidade produzida. Já a metanfetamina é encontrada em comprimidos de ecstasy, principalmente. Ao entrar em contato com as substâncias, os reagentes mudam de cor.

Leia mais:

Imagem de destaque
"Voa Brasil"

Programa de passagens aéreas acessíveis deve ser finalizado em junho

Imagem de destaque
Em breve

Após chuva no Rio Grande do Sul, Brasil se prepara para seca na Amazônia

Imagem de destaque
Doações

Defesa Civil de Londrina prorroga até dia 28 arrecadação para a campanha SOS RS

Imagem de destaque
Mais de 160 mortes

Fiocruz estima 2,5 milhões de afetados pelas enchentes no Rio Grande do Sul


Publicidade

Segundo o presidente do Inmetro, Márcio André Oliveira Brito, o uso desses produtos serve para que a identificação de drogas pelas polícias seja feita de forma mais rápida e sem equívocos nas análises forenses.


Quando os agentes erram a substância apreendida no boletim, há possibilidade de questionamento e anulação do processo. "Com a entrega desses dois últimos materiais, já temos um total de nove produtos disponibilizados para as polícias. E mais quatro devem ser disponibilizados ainda em 2024", disse Brito.

Publicidade


Dentre os materiais já entregues, está um reagente para identificar cocaína em apreensões.

Publicidade

Os novos reagentes foram desenvolvidos com apoio da Capes (Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e do Procad (Programa Nacional de Cooperação Acadêmica).


A Capes é uma das agências que financia a produção desses materiais. A organização contrata pesquisadores bolsistas e financia a compra de materiais, serviços e equipamentos necessários.
O trabalho de concepção dos produtos também conta com o apoio da PF (Polícia Federal), que fornece drogas apreendidas para os pesquisadores -após autorização judicial-, distribui materiais de referência e participa de discussões técnicas.


LEIA TAMBÉM:


Imagem
Juízes do caso Moro no TRE evitam Lava Jato, mas fazem comentários sobre operação
Juízes do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná disseram inicialmente que evitariam tratar, durante o julgamento do senador Sergio
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade