04/06/20
22º/12ºLONDRINA
PUBLICIDADE
|
Após conciliação

Petroleiros fecham acordo e encerram greve de 20 dias

Representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) confirmaram, nesta sexta-feira (21), o fim da greve de 20 dias da categoria. O anúncio foi feito após audiência de conciliação com representantes da Petrobras, no gabinete do ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), relator do processo de dissidio coletivo no tribunal.

Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão/Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Além do fim da greve, ficou decidido que metade dos dias parados serão descontados na folha de pagamento e a outra metade serão compensados pelos empregados. As punições administrativas contra os grevistas também deverão ser canceladas pela estatal. Outra reivindicação dos petroleiros foi atendida e a escala de trabalho será elaborada pelos trabalhadores.

A questão das demissões em uma fábrica de fertilizantes da Petrobras no Paraná será discutida em outra reunião, marcada para quinta-feira (27).

Ontem (20), após 20 dias de greve, os petroleiros suspenderam a paralisação e voltaram ao trabalho para aguardar o que seria definido na audiência de conciliação realizada nesta sexta-feira (21).

Greve

A greve foi iniciada em função, segundo os petroleiros, do descumprimento do acordo coletivo pela estatal. Os petroleiros contestavam ainda as demissões anunciadas pela estatal na Araucária Nitrogenados (Ansa), subsidiária da empresa, na cidade de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba.

Conhecida como Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), a subsidiária deve ser fechada pela Petrobras. Segundo a FUP, a suspensão das atividades vai provocar a demissão de mil trabalhadores.

A estatal alega que após a aquisição da Vale, em 2013, os "resultados da subsidiária demonstram a falta de sustentabilidade do negócio e que sua continuidade operacional não se mostra viável economicamente". O prejuízo anual é de R$ 400 milhões este ano, segundo a empresa.

Na terça-feira (18), a Justiça do Trabalho em Curitiba suspendeu as demissões dos empregados até 6 de março, quando nova audiência de conciliação será realizada.

A decisão foi tomada durante a primeira audiência do dissídio de greve dos empregados. Diante do impasse, não houve acordo com a empresa e as demissões foram suspensas temporariamente, inclusive as 144 efetivadas.

Um dia antes, na segunda-feira (17), o ministro Ives Gandra Martins considerou ilegal a greve dos petroleiros.
Agência Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Pavimentação
Rotatória será interditada para obras na Avenida Leste-Oeste
Para todos os bolsos
Tá duro? Saiba como curtir o Carnaval em Londrina com até 'cinquentão'
Programe-se!
Confira o que abre e fecha no Carnaval em Londrina
Continue lendo
Meteorologia
Londrina terá outro dia de chuva nesta quinta
04/06/2020 09:01
Tráfico de drogas
Londrinense é detido em Peabiru com 190kg de maconha
04/06/2020 08:53
Entenda
Bolsonaro chama de marginais e terroristas integrantes dos chamados grupos antifascistas
04/06/2020 08:37
Almoço do dia
Veja o cardápio do Restaurante Popular nesta quinta
04/06/2020 08:25
Obituário
Lista de falecimentos dos dias 3 e 4 de junho de 2020 em Londrina e região
04/06/2020 08:15
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados