Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Rio Grande do Sul

Protesto contra fechamento de exposição termina em prisões

Agência Estado
13 set 2017 às 10:47
Continua depois da publicidade

Dois homens foram presos, no início da noite desta terça-feira (12), após protestos em frente ao Santander Cultural, no centro de Porto Alegre. As informações são do Comando de Policiamento da Capital (CPC).

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

De acordo com a polícia, a dupla foi detida por entrar em confronto com integrantes que eram opostos à reabertura do museu que foi fechado pela direção do Santander Cultural no domingo (10). A Brigada Militar teve que usar bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Os homens foram conduzidos pelos policiais para a 2.ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento.

Continua depois da publicidade


O protesto contra o fechamento da exposição Queermuseu, em frente do Santander Cultural teve início por volta das 15h30 e, a princípio, foi pacífico. Jovens artistas promoveram uma breve performance na porta do prédio da instituição, onde eles tinham colocado fitas de isolamento na entrada e ficaram nus. Na ocasião, algumas artistas mostraram os seios e se banharam em argila, como forma de repulsa à homofobia.


"Resolvi expor meus seios para mostrar que estamos aqui e nossas identidades não serão apagadas, é uma forma de afirmar isso através do corpo, que é uma metáfora para toda a nossa identidade e tudo que incomoda tanto nas pessoas", explicou a artista visual Júlia Franza.


O secretário de cultura de BH, Juca Ferreira, confirmou que foi procurado na manhã desta terça-feira (12), por um gestor cultural da capital gaúcha próximo ao curador do evento, Gaudêncio Fidelis. Na conversa, a possibilidade de BH receber a exposição foi levantada. "Vejo com bons olhos, até por ter tradição de lutar contra qualquer tipo de censura e restrição, mas a conversa não avançou", afirmou Ferreira, que foi ministro da Cultura entre 2008 e 2010.

Continua depois da publicidade


Em Minas


O curador da exposição Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, Gaudêncio Fidelis, afirmou na tarde da terça que a mostra pode ir a Belo Horizonte. Ele disse isso durante protestos, que reuniram centenas de pessoas em frente do Santander Cultural, no centro de Porto Alegre. O grupo, a maioria composto por integrantes de ONGs LGBTs, é contra o fechamento da exposição, ocorrido domingo.


"Houve um contato do assessor de secretário de Cultura de Belo Horizonte, Juca Ferreira, que se mostrou interessado em receber a exposição em Minas. O assessor me disse que a Secretaria de Cultura faria um investimento caso eu permitisse. Eu disse, com prazer, eu tenho o maior interesse", explicou o curador.

O artista gaúcho Jorge Gil estava entre os manifestantes e disse que, apesar de não conhecer pessoalmente o curador, é solidário com ele e a arte brasileira. "Que ele (Gaudêncio Fidelis) não se sinta acuado em função de pessoas de um fundamentalismo sem propriedade. A exposição traz uma identidade com obras que há milênios vem sendo explorada por artistas da nossa história da humanidade. Aqui no Brasil não pode ser diferente", apontou o rapaz. (Colaborou Paulo Beraldo)


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade