Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
6 votos a 3

STF tem maioria para descriminalizar porte de maconha para uso pessoal

Redação Bonde com Agência Brasil
25 jun 2024 às 17:48
- STF
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), votou a favor da descriminalização do porte de maconha para uso pessoal. Com isso, a Corte formou maioria de 6 votos a 3 pela descriminalização. O julgamento do caso foi retomado nesta tarde. 


Na sessão anterior, na semana passada, Toffoli afirmou que seu voto era uma terceira via. Nesta terça-feira (25), o ministro esclareceu que sua manifestação faz parte da maioria dos votos proferidos.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


No início da sessão de hoje, ele reafirmou posicionamento pela constitucionalidade da Lei de Drogas (Lei 11.343/2006), norma que deixou de prever a pena de prisão, mas manteve penas alternativas de prestação de serviços à comunidade, advertência sobre os efeitos das drogas e comparecimento obrigatório a curso educativo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Prejuízo à Saúde

Escapamento barulhento pode render multa e apreensão de motos

Imagem de destaque
Prisão provisória

Brasil tem mais de 200 mil pessoas presas aguardando julgamento

Imagem de destaque
Esteja prevenido

O que fazer em desastres? Defesa Civil orienta população no antes, durante e depois

Imagem de destaque
Crime ambiental

Defesa Civil começa retirada de toneladas de peixes mortos no rio Piracicaba


Para Toffoli, a lei não tem natureza penal desde sua edição, em 2006. Segundo o ministro, uma lei de 1976 previa a criminalização e foi superada pela Lei de Drogas.

Publicidade


"Nenhum usuário de nenhuma droga pode ser criminalizado. O objetivo da lei de 2006 foi descriminalizar todos os usuários de drogas", afirmou.


O ministro também defendeu que o Congresso e órgãos do Executivo, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e os ministérios da Justiça e Segurança Pública; da Educação; e do Trabalho e Emprego, estabeleçam, no prazo de 18 meses, políticas públicas para definir uma quantidade de maconha para diferenciar usuários e traficantes, além da produção de campanhas educativas sobre os malefícios sobre o uso de drogas.


A sessão continua para a tomada dos dois últimos votos, que serão proferidos pelos ministros Luiz Fux e Cármen Lúcia.


LEIA TAMBÉM:


Imagem
Com aval das comissões, aumento salarial da Guarda Municipal de Londrina será votado nesta terça-feira
As comissões de Finanças, de Administração e de Segurança Pública da CML (Câmara Municipal de Londrina) emitiram pareceres favoráveis aos PLs (Projetos de Lei) 111 e 112/2024, que aumentam os salários da GM (Guarda Municipal).
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade