09/08/20
28º/15ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Veja os dados

716 mil empresas fecharam as portas de vez após a pandemia, diz IBGE

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou nesta quinta (16) que 1,3 milhão de empresas brasileiras estavam com atividades encerradas temporária ou definitivamente na primeira semana de junho. Dentre elas, 716 mil não abrirão mais as portas.

Rovena Rosa/Agência Brasil
Rovena Rosa/Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Os dados fazem parte da primeira edição da pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas empresas, lançada pelo instituto na semana passada. A pesquisa detectou também que apenas um terço das empresas brasileiras demitiu e só 13% tiveram acesso ao auxílio federal para pagar empregados.

Entre as empresas que encerraram as atividades, mesmo que temporariamente, 40% delas disseram ter tomado a decisão por causa da pandemia do novo coronavírus. O impacto foi disseminado em todos os setores da economia, chegando a 40,9% entre as empresas do comércio, 39,4% dos serviços, 37,0% da construção e 35,1% da indústria.

Entre as empresas que encerraram definitivamente suas atividades, 99,8% (ou 715,1 mil) eram de pequeno porte. Apenas 0,2% (1,2 mil) eram consideradas intermediárias e nenhuma era de grande porte, disse o instituto.

No grupo das 2,7 milhões de empresas que permaneceram em atividade, 70% relataram que a pandemia teve impacto geral negativo sobre os negócios. Para 13,6%, por outro lado, a pandemia trouxe oportunidades e que teve um efeito positivo sobre a empresa.

No setor de serviços, 74,4% das empresas disseram ter sentido efeitos negativos, o maior índice entre os segmentos pesquisados. Na indústria, foram 72,9%, na construção 72,6% e no comércio, 65,3%.

"Os dados sinalizam que a Covid-19 impactou mais fortemente segmentos que, para a realização de suas atividades, não podem prescindir do contato pessoal, têm baixa produtividade e são intensivos em trabalho", disse Alessandro Pinheiro, Coordenador de Pesquisas Estruturais e Especiais em Empresas do IBGE.

Para 63,7% das empresas ainda em atividade ouvidas pelo IBGE, houve dificuldades em realizar pagamentos de rotina em relação ao período anterior a pandemia.

Cerca 60% delas mantiveram o número de funcionários na primeira quinzena de junho em relação ao início da pandemia. Dentre as que reduziram o número de pessoal ocupado, 37,6% reportaram uma redução inferior a 25% do pessoal e 32,4% uma redução entre 26% e 50% do número de pessoal ocupado.

Segundo o IBGE, 12,7% das empresas relataram ter conseguido uma linha de crédito emergencial para realizar o pagamento da folha salarial dos funcionários. Outras 44,5% empresas afirmaram ter adiado o pagamento de impostos.
Nicola Pamplona/Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Por enquanto...
Belinati mantém medidas restritivas anteriores à 'quarentena de Ratinho'
Norte Pioneiro
Dois PMs e cinco fazendeiros são presos nesta quarta
Continue lendo
Luto
Morre mãe de comentarista político de Maringá
09 AGO 2020 às 12h19
Zona norte
Homem encontra ossada enterrada em fundo de vale ocupado em Londrina
09 AGO 2020 às 11h49
Nova Esperança
Motociclista morre ao colidir na traseira de carro que 'cortou' sua passagem em rodovia
09 AGO 2020 às 10h57
Não foi desta vez...
Mega-Sena acumula e prêmio vai a R$ 11 milhões
09 AGO 2020 às 10h39
Obituário
Falecimentos dos dias 8 e 9 de agosto de 2020 em Londrina e região
09 AGO 2020 às 10h21
Veja o post
Motoboy humilhado por morador de condomínio de luxo ganha moto de humorista
08 AGO 2020 às 21h25
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados