Pesquisar

Canais

Serviços

- Gustavo Carneiro/Grupo Folha
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Impostômetro no Calçadão

Bolo Tributário informa em Londrina sobre a carga de impostos no Brasil

Vitor Ogawa - Grupo Folha
26 mai 2022 às 09:34
Continua depois da publicidade

O Sescap-Ldr (Sindicato das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas e de Serviços Contábeis de Londrina e Região) realizou na quarta-feira o "5º Bolo Tributário" no Calçadão de Londrina (em frente ao Banco do Brasil). A atividade teve como objetivo mostrar para população o quanto se paga de tributos no Brasil, como esse recurso deveria ser aplicado, ao mesmo tempo, chamar a atenção da população e autoridades para a elevada carga tributária, e também destacar o Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte. Foi exposta uma relação de produtos com os percentuais de impostos que incidem sobre cada um deles.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Marcelo Odetto Esquiante, presidente do Sescap-Ldr afirmou que a atividade quer conscientizar a população sobre quanto ela paga de impostos sobre os produtos que consome. “Muita gente acha que não paga imposto e só acha que a tributação só ocorre pelo IRPF (Imposto de Renda sobre Pessoa Física), no entanto todos os produtos que a gente consome tem um percentual de imposto embutido. A conta de luz, por exemplo,  48,28% do que a gente paga é imposto. Na aquisição da cesta básica quase 20% é imposto.”, declarou Esquiante.

Continua depois da publicidade


Ele relatou que muita gente não tinha noção disso. “Foi engraçado um episódio, pois quando colocamos a prateleira com os produtos e com o percentual de impostos, tinha um vidro de perfume e uma senhora perguntou se estávamos vendendo perfume. Quando falamos que não e que estávamos mostrando quanto cada produto tem de imposto embutido, ela falou que não paga imposto. Ela achava que não paga nada, porque não declara o IRPF.” 


O perfume importado paga 78,99% de imposto e o nacional paga 69,13%. “Muita gente falou que não paga imposto, mas isso não é real.” Ele exemplificou que as bebidas alcoólicas, por exemplo, estão entre os produtos que mais pagam impostos. A cachaça paga 81,7% de imposto sobre o valor final do produto. O chope paga 62,20%. O vinho importado paga   59,73% e a cerveja paga 42,69%. “Por ser  supérfluo, o imposto é maior. Mas alguns itens básicos possuem uma alta carga tributária. Materiais escolares, por exemplo, possuem itens como o papel sulfite que possui 37,77% de carga tributária. A caneta tem uma carga tributária de 49,95%. Essa taxação também ocorre nos produtos de maior necessidade como o feijão, que paga 17,24% de imposto, o açúcar possui carga de 30,6% de tributos e o pão francês paga 16,86%. A máscara que usamos durante a pandemia 30,16% de imposto”, ressaltou.


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade