Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Pacote

Caixa vai cortar juro para micro e pequena empresas

Agência Estado
14 jun 2009 às 20:46
- Reprodução
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Caixa Econômica Federal se prepara para anunciar um grande corte nas taxas de juros na próxima semana, agora para micro e pequenas empresas. A informação foi dada à Agência Estado pela presidente da instituição, Maria Fernanda Coelho. Assim que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovar o uso do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para cobrir eventual calote nos empréstimos desse segmento, a instituição passará a praticar as novas taxas. Em alguns casos, o juro será reduzido pela metade.

O FGC deve beneficiar as instituições que emprestarem a micro e pequenas empresas. A maior parte dos recursos do Fundo virá do Tesouro Nacional, que deve iniciar com um aporte de R$ 2 bilhões. A medida é coordenada com a equipe econômica, e tem como objetivo manter aquecida a atividade nesse setor, que ainda não teve a oferta de crédito restabelecida completamente.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Na próxima semana, o CMN deve aprovar a regulamentação do FGC, para permitir que as instituições financeiras recebam recursos para cobrir eventuais prejuízos em caso de inadimplência das pequenas empresas. O novo instrumento é a principal aposta do Ministério da Fazenda para reduzir o custo do crédito e restabelecer a oferta de empréstimos para esse segmento de empresas, que sofre duramente com a restrição de crédito desde o agravamento da crise, em setembro do ano passado. Apesar da melhora das condições da economia, o nível de oferta de empréstimos a empresas menores ainda não é considerado normal.

Leia mais:

Imagem de destaque
Crise

Um terço das famílias brasileiras sobreviveu com renda de até R$ 500 por mês em 2021, mostra FGV

Imagem de destaque
97,5 milhões de ocupados

Taxa de desemprego no Brasil cai para 9,8%, segundo IBGE

Imagem de destaque
Atenção à data

Termina nesta terça o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda

Imagem de destaque
Resultado animador

Número de inadimplentes de Londrina cai 14% em abril, segundo dados do SPC


Segundo Maria Fernanda, essa redução das taxas de juros só será possível porque as operações passarão a contar com o "seguro" do FGC. Com isso, os riscos da operação diminuem drasticamente, abrindo espaço para que a instituição reduza os spreads bancários - margem cobrada na operação - e, por consequência, corte os juros finais.

A linha com a maior redução proporcional será a destinada aos investimentos. Sem citar o produto, a presidente da Caixa disse que a taxa que atualmente é de TR acrescida de 6,5% ao ano cairá para TR somada a juro de 3% a 4%. Na página do banco na internet, é possível constatar que o juro atual citado por Maria Fernanda coincide com o financiamento de máquinas e equipamentos para micro e pequenas empresas. Essa será a sétima queda de juro anunciada pelo banco este ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade