Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
A partir de 24 de junho

Conta de luz residencial ficará 4% mais barata

Redação Bonde
20 jun 2012 às 12:49
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

As tarifas de energia elétrica vão ficar, em média, 0,65% mais baratas para os paranaenses a partir de 24 de junho. Para os consumidores residenciais, a redução será de 4,11%. Isso porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem a revisão tarifária periódica da Companhia Paranaense de Energia (Copel).

Para os consumidores de alta tensão (indústrias), o percentual varia de -0,06% até +7,94%. Este último percentual vale para indústrias da classe A3a consideradas de médio porte. A Copel atende hoje cerca de 3,9 milhões de unidades consumidoras localizadas em 393 municípios do Paraná.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O processo de revisão tarifária tem como principal objetivo analisar, após um período previamente definido no contrato de prestação do serviço público de distribuição de energia (geralmente quatro anos), o equilíbrio econômico-financeiro da concessão.

Leia mais:

Imagem de destaque
Crise

Um terço das famílias brasileiras sobreviveu com renda de até R$ 500 por mês em 2021, mostra FGV

Imagem de destaque
97,5 milhões de ocupados

Taxa de desemprego no Brasil cai para 9,8%, segundo IBGE

Imagem de destaque
Atenção à data

Termina nesta terça o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda

Imagem de destaque
Resultado animador

Número de inadimplentes de Londrina cai 14% em abril, segundo dados do SPC


A Aneel informou que a proposta inicial da própria agência reguladora é que o percentual médio de redução fosse de 0,85%. Depois disso, foi realizada uma audiência pública em Curitiba em 27 de abril, na qual ficou definido o percentual médio de 0,65%.

Publicidade


Ainda de acordo com informações da Aneel, na revisão tarifária que acontece de quatro em quatro anos, a Copel não pode apresentar uma solicitação de percentual, o que é definido pela agência reguladora. Nas revisões tarifárias, geralmente, o índice é negativo. Nos reajustes tarifários anuais é levado em conta o pleito da estatal paranaense. No entanto, no ano que acontece revisão tarifária, não é realizado o processo de reajuste tarifário anual.


Para chegar ao percentual médio de -0,65%, a Aneel levou em conta os custos e as receitas da Copel dos últimos quatro anos e concluiu que a estatal teve mais receita do que despesas neste período. Em 2008, a Copel teve lucro líquido de R$ 1,078 bilhão, em 2009 de R$ 1,026 bilhão, em 2010 de R$ 987,8 milhões e, em 2011, de R$ 1,157 bilhão.

Como o reajuste entra em vigor no final de junho, o consumidor deve receber a primeira conta com os novos valores, na sua totalidade, na fatura de agosto. A Copel informou que só vai se pronunciar sobre o assunto quando sair a publicação da revisão tarifária em 24 de junho. (Fonte: Folhaweb)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade