Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Moeda

Dólar sobe a R$ 2,11 e acumula alta de 2% na semana

Agência Estado
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O dólar comercial subiu 1,34% nesta sexta-feira e fechou cotado a R$ 2,11 no mercado interbancário de câmbio. Na semana, o dólar acumulou alta de 2,03%. Mas no acumulado do mês, a moeda americana registra queda de 3,56% e no ano, de 9,64%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a cotação do dólar nos contratos de liquidação à vista avançou 1,35% hoje e fechou o pregão a R$ 2,109.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A movimentação dos investidores vendendo ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) amparou em parte a demanda por dólar no mercado à vista e nos contratos futuros, disse um operador de uma corretora em São Paulo. Além disso, a compra pelo Banco Central entre cerca de US$ 17 milhões e US$ 20 milhões, em leilão realizado por volta das 12h45, teve como efeito a redução da queda das cotações que a moeda à vista exibia no fim da manhã. A taxa de corte nas propostas apresentadas no leilão foi de R$ 2,0798 por dólar.

Continua depois da publicidade



O operador de câmbio da Corretora Finabank, Ovídio Pinho Soares, disse que a queda dos índices de ações em Nova York à tarde amparou um movimento especulativo de compra de dólar no mercado futuro, com impacto sobre as cotações à vista. Esse movimento, segundo ele, refletiu a cautela dos investidores em meio a dúvidas sobre a consistência dos ganhos apurados pelos mercados de ações nos EUA até o dia 8 de maio, que foram apoiados por indicadores melhores das economias norte-americana e chinesa, principalmente. As incertezas reapareceram esta semana depois dos relatórios decepcionantes sobre as vendas no varejo americano e sobre os pedidos de auxílio-desemprego nos EUA.



Pinho Soares ponderou que a alta do dólar no mercado doméstico hoje pode ser pontual, uma vez que a expectativa é de que o fluxo cambial poderá continuar positivo. Segundo ele, neste mês até o dia 11, houve ingressos de recursos estrangeiros na Bovespa de cerca de US$ 2,8 bilhões, e no mês de abril esse fluxo positivo somou cerca de US$ 3,8 bilhões. "A perspectiva de continuidade da queda da taxa Selic (juro básico da economia) em junho deverá favorecer a Bovespa", avaliou.


Um operador de uma corretora paulista disse que a leitura hoje no Senado do requerimento de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, assinado por 32 parlamentes da oposição, incomodou alguns investidores, que podem ter reduzido a compra de ações da estatal e migrado para o mercado de câmbio. Pinho Soares, no entanto, disse que, apesar de a CPI causar certo mal estar, ainda não há certeza se, de fato, a comissão será instalada. Por isso, ele disse que o impacto dessa notícia sobre a ação e a demanda por dólar pode ter sido limitado.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade