Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Aponta Serasa

Inadimplência das empresas sobe mais de 13% em outubro

Redação Bonde com Serasa
27 nov 2013 às 14:10
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 13,3% em outubro, na comparação com setembro último, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi a maior alta verificada desde outubro de 2012, quando houve um avanço de 13,8% ante setembro daquele ano.
O levantamento também apontou elevações nas variações anual e acumulada. Na comparação entre outubro deste ano com igual mês de 2012, o crescimento da inadimplência das empresas foi de 0,8%. Na relação entre os acumulados de janeiro a outubro de 2013 e 2012, por sua vez, o aumento foi de 1,4%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a atual tendência de elevações das taxas de juros, as oscilações da taxa de câmbio e o atual cenário de desaceleração da economia figuram entre os fatores que impulsionaram a inadimplência das empresas em outubro.
Decomposição do indicador.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Valor médio das dívidas

Leia mais:

Imagem de destaque
Crise

Um terço das famílias brasileiras sobreviveu com renda de até R$ 500 por mês em 2021, mostra FGV

Imagem de destaque
97,5 milhões de ocupados

Taxa de desemprego no Brasil cai para 9,8%, segundo IBGE

Imagem de destaque
Atenção à data

Termina nesta terça o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda

Imagem de destaque
Resultado animador

Número de inadimplentes de Londrina cai 14% em abril, segundo dados do SPC


Nos dez primeiros meses do ano, as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram um valor médio de R$ 811,48, o que representou um crescimento de 6,2% ante igual período de 2012.
As dívidas com bancos, por sua vez, tiveram nos dez primeiros meses de 2013 um valor médio de R$ 5.230,33, resultando em 0,8% de queda na relação com o acumulado de janeiro a outubro do ano anterior.


Quanto aos títulos protestados, o valor médio verificado de janeiro a outubro foi de R$ 2.055,25, com aumento de 5,1% sobre igual acumulado de 2012.

Por fim, os cheques sem fundos tiveram, nos dez primeiros meses de 2013, um valor médio de R$ 2.432,90, representando um aumento de 7,1% quando comparado com os dez primeiros meses do ano anterior.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade