Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Alta

Inadimplência de empresas cresce 12,5% em janeiro

Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência de Pessoa Jurídica apontou alta de 12,5% na inadimplência das empresas em janeiro de 2009 quando comparado com dezembro de 2008. O levantamento também mostrou que houve uma elevação de 28,9% na inadimplência das pessoas jurídicas na variação entre janeiro de 2009 e janeiro de 2008.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

No primeiro mês do ano, o ranking de representatividade da inadimplência das empresas foi liderado pelos títulos protestados, com 41,5% de participação no indicador. Em janeiro de 2008, tal representação foi de 42,4%.

Continua depois da publicidade


Em seguida estão os cheques sem fundos, com participação de 39,5% no indicador em janeiro de 2009. Já no primeiro mês de 2008, os cheques devolvidos foram responsáveis por 38,2% da inadimplência das empresas.


Fecham o ranking as dívidas com os bancos, com uma participação no indicador de 19% em janeiro de 2009, abaixo dos 19,4% registrados em janeiro de 2008.


Valor médio das dívidas

Continua depois da publicidade


Em janeiro de 2009, o valor médio das dívidas com os bancos foi de R$ 4.470,94, com 5,1% de crescimento na comparação com o primeiro mês de 2008.


Os títulos protestados, por sua vez, tiveram em janeiro de 2009 um valor médio de R$ 1.764,70, resultando em 26,7% de elevação frente a janeiro de 2008.


Por fim, os cheques sem fundos tiveram seu valor médio em R$ 1.412,19 em janeiro de 2009, 15,4% a mais que o valor registrado em igual mês de 2008.


Análise


Para os técnicos da Serasa Experian, a alta da inadimplência continuou a refletir os efeitos negativos da crise financeira internacional sobre o mercado de crédito no Brasil. O ambiente de incertezas causou retração da oferta de recursos, os prazos dos empréstimos encurtaram e as taxas de juros dos financiamentos subiram. Além disso, os bancos ficaram mais conservadores na hora de conceder crédito às empresas.

Embora esse cenário tenha atingido seu ponto mais negativo em dez/08, os efeitos prevalecem no início deste ano, porém em menor intensidade já que a alta de 28,9% em jan/09 ante jan/08 foi inferior aos 36,1% registrados na relação dez/08 com dez/07.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade