Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
No Paraná

Minirreforma vai injetar R$ 300 mi na economia do PR

Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O presidente da Associação Paranaense de Supermercados (Apras), Everton Mufatto, disse nesta quarta-feira (1º) que a minirreforma tributária do Governo do Paraná vai injetar cerca de R$ 300 milhões na economia do Estado. "Os novos preços devem entrar em vigor no decorrer da semana. A medida do Governo do Paraná é perfeita para um momento de crise como o atual. Os maiores beneficiados são os consumidores finais", afirmou.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Roberto Requião em dezembro passado, a lei 16.016 reduz de 25% (ou 18% de outros produtos) para 12% o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em operações internas, sobre 95 mil itens de consumo popular — medicamentos, alimentos, produtos de higiene e eletrodomésticos, entre outros.

Continua depois da publicidade


Para compensar a perda de receita e atender a Lei de Responsabilidade Fiscal, a minirreforma aumenta em dois pontos porcentuais o ICMS de gasolina, álcool anidro energia elétrica, comunicações, bebidas e cigarros.


Um estudo realizado pelo Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) no final de 2008 mostra que a minirreforma tributária do Governo do Paraná pode colocar R$ 315 milhões por ano no bolso de aposentados e pensionistas que recebem até sete salários-mínimos por mês. Trata-se de um incremento de 0,89% na renda de 3,8 milhões de paranaenses, conclui o levantamento.


O estudo afirma que qualquer redução de preços superior a 2,43% nos 95 mil itens cuja alíquota do ICMS passa de 18% para 12% será "renda extra disponível para os consumidores que têm estrutura de consumo de até seis salários-mínimos."

Continua depois da publicidade

A minirreforma também deverá manter o emprego dos 60 mil trabalhadores do setor supermercadista no Paraná, e também abrir 3 mil novas vagas nas 2.675 lojas espalhadas pelo Estado, espera a Associação Paranaense de Supermercados (Apras). "Com certeza, não teremos demissões no setor", disse em janeiro Paulo Beal, primeiro vice-presidente da Apras.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade