Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entorno do aeroporto

Retomada de desapropriações em Londrina depende de nomeação de juiz

Guilherme Batista - Redação Bonde
05 nov 2014 às 15:18
- Arquivo Bonde
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

A Justiça Federal ainda não nomeou o magistrado que ficará responsável por acompanhar o processo de desapropriação das áreas da face norte do Aeroporto Governador José Richa. "Estamos aguardando a nomeação do juiz que vai intermediar o acordo entre o município e os moradores", afirmou o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Veronesi.

Veronesi garantiu que o poder público já tem os "laudos e as avaliações" dos terrenos que vão ser desapropriados. "Quando nomeado, o juiz vai convocar os moradores, mostrar as avaliações, esperar pela aceitação deles e fechar o acordo", explicou.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


O presidente da Codel explicou que o município precisa do acordo fechado para liberar os R$ 30 milhões já reservados pelo Governo do Paraná. "O Estado se comprometeu a enviar o dinheiro para Londrina, mas só após as negociações".

Leia mais:

Imagem de destaque
Crise

Um terço das famílias brasileiras sobreviveu com renda de até R$ 500 por mês em 2021, mostra FGV

Imagem de destaque
97,5 milhões de ocupados

Taxa de desemprego no Brasil cai para 9,8%, segundo IBGE

Imagem de destaque
Atenção à data

Termina nesta terça o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda

Imagem de destaque
Resultado animador

Número de inadimplentes de Londrina cai 14% em abril, segundo dados do SPC


O processo de desapropriação da face sul do aeroporto foi acompanhado pelo juiz Gilson Luiz Inácio. "Esperamos que ele volte a ser nomeado agora por conta de sua experiência com todo o trâmite", afirmou Veronesi.

Publicidade


Ao Bonde, o juiz afirmou que não é mais o diretor do Foro da Justiça Federal em Londrina. "O que a prefeitura pode fazer é dar andamento ao processo e ir propondo as ações. A Justiça está aqui para analisá-las", afirmou, referindo-se aos colegas de outras varas federais.


Inácio admitiu, entretanto, que o município quer que ele fique à frente do processo, justamente por conta de sua experiência com as desapropriações com os terrenos da face sul do aeroporto. "Dependo de uma autorização do Tribunal (Regional Federal da 4.ª Região)", afirmou, mas sem estipular prazos para o desfecho do impasse.

Publicidade


A prefeitura pode enviar um ofício ao TRF4 pedindo a nomeação do magistrado. "Como o dinheiro ainda não foi enviado, o município precisa dos acordos para obtê-los", completou Inácio.


Aeroporto

Publicidade


As áreas, após desapropriadas, serão doadas ao Governo Federal. A Infraero precisa dos terrenos para continuar com as obras de ampliação do Aeroporto Governador José Richa.


A entidade pretende investir R$ 80 milhões no terminal até 2018. Entre as melhorias previstas destacam-se a ampliação da pista, a reforma das salas de embarque e desembarque, reparo do muro perimetral e a tão aguardada instalação do ILS.

(Atualizado às 16h14)


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade