Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Comparativo

Vendas de supermercados caíram 4% em maio

Agência Estado
10 jun 2009 às 11:26
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

As vendas reais dos supermercados caíram 4,12% em maio em relação a abril. Na comparação com maio do ano passado, a receita dos supermercados caiu 4,01% no mês passado. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (30), pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

No acumulado dos cinco primeiros meses de 2009, as vendas do setor aumentaram 5,36% na comparação com o mesmo período de 2008. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo a Abras, é possível observar o bom crescimento das vendas tanto na comparação com maio de 2008 quanto no acumulado de 2009, o que sinaliza que os consumidores brasileiros não diminuíram suas compras nos supermercados, apesar da retração da atividade econômica no fim do ano passado e no início deste ano.

Leia mais:

Imagem de destaque
Crise

Um terço das famílias brasileiras sobreviveu com renda de até R$ 500 por mês em 2021, mostra FGV

Imagem de destaque
97,5 milhões de ocupados

Taxa de desemprego no Brasil cai para 9,8%, segundo IBGE

Imagem de destaque
Atenção à data

Termina nesta terça o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda

Imagem de destaque
Resultado animador

Número de inadimplentes de Londrina cai 14% em abril, segundo dados do SPC


Perspectivas - O presidente da Abras, Sussumu Honda, disse hoje que as vendas do setor devem reagir de forma mais consistente no segundo semestre deste ano. Segundo ele, a manutenção do consumo das famílias vem garantindo a expansão das vendas dos supermercados. "O segundo semestre, naturalmente, é o melhor período das vendas. Além disso, o cenário está mais positivo, influenciado pela manutenção dos níveis de emprego", afirmou.


Honda acrescentou que a desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de automóveis e linha branca, por exemplo, de forma indireta contribuirá para o setor, pela manutenção dos empregos que a medida gera tanto na indústria quanto no comércio. "O ritmo de geração de empregos deve melhorar a partir de agora, contribuindo para a manutenção da renda, o que sustenta as vendas nos supermercados", afirmou.

A entidade prevê para o próximo mês a revisão oficial da projeção de crescimento do setor, que atualmente está em 2,5%.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade