Pesquisar

Canais

Serviços

Após o almoço, o príncipe seguiu para o Parque Yumê, em Rolândia, dando prosseguimento à série de eventos relativos à comemoração do centenário - Roberto Corradini/SECS
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Nobre comemoração

Dia de festa no Paraná com a visita do príncipe Naruhito

Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Em dia de festa para o Paraná, o príncipe do Japão, Naruhito, fez sua primeira parada em Londrina, para inaugurar a Praça do Centenário da Imigração Japonesa Tomi Nakagawa, na manhã de domingo (22). Presentes ao evento o vice-presidente da República, José Alencar Gomes da Silva, o governador Roberto Requião e o prefeito Nedson Micheletti.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Distanciando-se do rígido protocolo, Naruhito fez questão de cumprimentar um grupo de cerca de 20 pessoas, com idade acima de 80 anos, representando os primeiros imigrantes no Brasil. Cerca de 3 mil pessoas participaram do evento. O príncipe deixou a Praça, em Londrina, por volta das 11h41.

Continua depois da publicidade


Sabores do Paraná


Depois da cerimônia de inauguração, o príncipe Naruhito almoçou no Village Praça de Eventos em Cambé, onde foi recebido com um dueto de violino e piano, feito pela miss Imin 100 no Paraná, Laís Naoko Higashi, e por Sandra Mohr, respectivamente. Elas homenagearam o príncipe ao tocar uma canção de ninar composta pela mãe do príncipe, a imperatriz Michiko. Em seguida, finalizaram a apresentação com Concerto em Sol Maior, de Oscar Rieding.

Continua depois da publicidade


O cardápio servido ao príncipe foi composto por frios, petiscos e saladas, filé de congrio rosa ao molho de palmito e açafrão e filé imperial. De sobremesa, Naruhito degustou strogonoff de nozes e sorvete de creme. Os ingredientes são todos brasileiros. Inclusive, o filé imperial leva pinhão, que é típico do Paraná e até então desconhecido pelo príncipe.


Parque Yume


Após o almoço, o príncipe Naruhito seguiu para Rolândia, dando prosseguimento à série de eventos relativos à comemoração do centenário de imigração japonesa, e sendo recebido, de acordo com os cálculos das polícias militar e federal, por cerca de 75 mil pessoas. Com ele, estiveram o vice-presidente do Brasil, José Alencar, o governador Roberto Requião, o vice Orlando Pessuti, o prefeito de Rolândia, Eurides Moura, e parlamentares brasileiros.


Além de apresentações de danças folclóricas japonesas, o príncipe apreciou a capoeira, o rebolado das brasileiras, a dança de roda portuguesa e o sapateado alemão, etnia que fundou Rolândia há quase 80 anos. O evento contou ainda com bênçãos budista, xintoísta e católica.


A festa preparada por um ano e meio foi abrilhantada por um coral de mil vozes formado por pessoas de 26 cidades paranaenses. Um grupo com 130 pessoas de 10 a 50 anos fez o ar vibrar com os taikos (tambores). Também muito aplaudida foi a formação de pirâmides humanas ao som de "Exodus", trilha sonora do filme dirigido por Otto Premienger, em 1960. Uma banda apresentou, ainda, uma canção folclórica japonesa.


Ao chegar ao local das apresentações às 14h15, o príncipe Naruhito plantou um pé de cerejeira, um dos símbolos da cultura japonesa, e implantou a pedra fundamental do futuro Parque Yume (sonho, em japonês). Ele também prestou uma homenagem aos imigrantes falecidos. As primeiras famílias nipônicas instalaram-se em Rolândia em 1932, implantando, sobretudo, a cultura do café, que foi durante muitos anos o sustentáculo econômico do município. O Paraná tem o segundo maior contingente de imigrantes japoneses e descendentes do País, com cerca de 150 mil pessoas.


"Muito obrigado"


Em seu discurso de despedida, encerrou sua fala com um "muito obrigado", em português mesmo, agradecendo a "calorosa" receptividade que encontrou no Paraná e a acolhida do povo brasileiro – e paranaense – aos imigrantes japoneses.


"A recepção foi muito calorosa, não só (por parte) dos imigrantes japoneses e seus descendentes, como também dos brasileiros", salientou Naruhito, que também afirmou desejar que a relação bilateral entre Brasil e Japão seja cada vez mais intensificada.


O príncipe comentou que se sentirá satisfeito se sua visita ao país – o príncipe está no Brasil desde a última quarta-feira (18), participando dos eventos relativos ao centenário da imigração japonesa – for útil ao estreitamento das relações entre os dois povos. "Se a minha visita contribuir para isso, ficarei muito feliz", declarou.


O príncipe herdeiro lembrou que, no Japão, o centenário da imigração para o Brasil também vem sendo celebrado. Em abril, exemplificou Naruhito, ocorreram atividades em comemoração à data.


Cartão postal


Em Maringá, na seqüência da visita, o príncipe Naruhito, acompanhado do vice-governador Orlando Pessuti, conheceu as obras do complexo turístico e esportivo do Parque do Japão, localizado entre o Parque Itaipu e Jardim Industrial, na saída para Campo Mourão, numa área de cerca de 100 mil metros quadrados.


Cerca de 4 mil pessoas esperaram pacientemente o príncipe, ao som de pagode e samba, bem como de cânticos e danças típicas japonesas. A visita durou cerca de 10 minutos. O vice-governador, o prefeito Silvio Barros e o embaixador do Japão no Brasil, Ken Yamanouchi, descerraram a placa inaugural da obra, que se tornará num dos principais pontos turísticos da cidade.


"Este é um momento que entra para a história de nossa cidade, porque coloca Maringá definitivamente no mapa turístico internacional. Quando este investimento estiver pronto, no final do ano, já teremos pronto o cartão postal dos mais bonitos da cidade, para poder oferecer aos turistas, que certamente virão aqui", afirmou o prefeito Silvio Barros.


O monumento do arquiteto Marcos Kenji, com 8 metros de altura, chamou a atenção do príncipe, visitantes e populares. Sua base representa a proa do navio Kasato Maru. "A esfera é o sol nascente, símbolo do Japão. Existe ainda o globo terrestre, com o mapa do Brasil e do Japão, envoltos em três elos que representam a integração dos dois povos e, no meio, o símbolo dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil", explicou o arquiteto, que é neto (sansei) de japonês.


Nesta segunda-feira, pela manhã, o príncipe embarca para Belo Horizonte e, no mesmo dia, viaja para o Rio de Janeiro, onde encerra o roteiro da visita oficial ao Brasil. O retorno a Tóquio será na quarta-feira.

Com informações da Agência Estadual de Notícias e Agência Estado


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade