Pesquisar

Canais

Serviços

A fabricação da nova série custará entre cinco e dez milhões de ienes (30 a 60.000 euros) - AFP
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Nova série

Ienes comemorativos ao Imim 100 serão cunhadas novamente

Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Uma moeda de 500 ienes que homenageia o centenário da imigração japonesa no Brasil - da qual foram cunhadas cinco milhões de unidades - deverá ser novamente fabricada em Tóquio devido a um problema relativo a direitos autorais.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A imagem utilizada na moeda era uma escultura de um artista brasileiro que representa uma família japonesa chegando a Santos e não pertencia a uma associação de imigrantes de origem japonesa no Brasil, como se supunha. Como o escultor estava amparado por um direito sobre a utilização de sua obra, a associação pediu a Tóquio que alterasse a imagem da moeda.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O novo motivo representa o barco dos primeiros imigrantes japoneses com um mapa da América do Sul ao fundo. "As moedas comemorativas serão cunhadas com o mesmo material das outras moedas de 500 ienes. Assim, simplesmente vamos reciclá-las", explicou um alto funcionário do ministério japonês das Finanças.


A fabricação da nova série custará entre cinco e dez milhões de ienes (30 a 60.000 euros). "Tínhamos um acordo com a associação de imigrantes relativo a alguns assuntos legais. Tecnicamente poderíamos processá-la por danos, mas isto iria contra o espírito da celebração", acrescentou.


A distribuição da nova moeda prevista para maio foi adiada para 18 de junho, quando o Brasil também lançará no mercado sua própria moeda comemorativa.

Continua depois da publicidade

Cerca de 800 japoneses deixaram Kobe em junho de 1908, abrindo caminho para uma onda de imigrantes saídos desta nação do oriente em direção ao Brasil onde esperavam ter uma vida melhor. Quase 1,2 milhão de descendentes de imigrantes nipônicos vivem atualmente no Brasil. Com informações da France Press.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade