Pesquisar

Canais

Serviços

- Pedro Marconi/Grupo Folha
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Coquetéis molotov

Perícia conclui que Incêndio em supermercado de Londrina foi intencional

Rafael Machado - Grupo Folha
07 abr 2022 às 16:23
Continua depois da publicidade

O Instituto de Criminalística de Londrina concluiu que os suspeitos de incendiar o Supermercado 88, no jardim Indusville, zona leste de Londrina, tiveram intenção de praticar o crime. Durante 10 dias, peritos analisaram destroços do estabelecimento, inaugurado em 2004. Nas amostras recolhidas, os profissionais encontraram resquícios de gasolina, o que confirma a tese da utilização de coquetéis molotov, uma espécie de bomba caseira em que se coloca líquido inflamável em uma garrafa de vidro.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


De acordo com o chefe do órgão, Luciano Bucharles, pelo menos 10 artefatos desse tipo foram usados. "Quando há um incêndio, vamos excluindo todas as possibilidades. Nesse caso, ficou evidente a intencionalidade das pessoas em incendiar o espaço. Além da presença de combustível, recolhemos alguns fragmentos de vidro, demonstrando claramente que o ato foi planejado", esclareceu.

Continua depois da publicidade


O delegado Jayme José de Souza Filho, do 5º Distrito Policial, havia adiantado à FOLHA que pelo menos cinco pessoas teriam participado da ação. A possibilidade foi levantada depois que investigadores analisaram imagens de câmeras de segurança do supermercado e de comércios vizinhos. A Polícia Civil também confirmou que um dos criminosos teria atirado contra um carro que passava pela avenida das Maritacas e, ao notar as chamas, reduziu a velocidade para ver o que estava acontecendo.


"O fogo começou do lado direito do estabelecimento e dali se espalhou de forma rápida, principalmente por causa dos produtos", apontou Bucharles. Pelo menos até o momento, a polícia identificou quatro crimes: o de incêndio, associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo e disparo de arma de fogo. Se forem condenados, os autores podem pegar até 17 anos de prisão.


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade