Pesquisar

Canais

Serviços

Pixabay
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Sem eficácia comprovada

Americano morre de Covid após família ganhar na Justiça direito de tratá-lo com ivermectina

17 dez 2021 às 16:26
Continua depois da publicidade

Um americano de 52 anos morreu no domingo (12) vítima de Covid-19 após a esposa entrar na Justiça para conseguir o direito de tratá-lo com ivermectina, remédio ineficaz para a doença que não tem autorização do FDA (Food and Drug Administration), órgão equivalente à Anvisa nos Estados Unidos, para o tratamento da infecção pelo coronavírus.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Segundo a imprensa americana, Keith Smith, engenheiro que vivia em York, na Pensilvânia, foi diagnosticado com Covid em 10 de novembro, passou três semanas internado e estava intubado desde 21 de novembro.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Foi sua esposa, Darla Smith, com quem estava casado havia 24 anos, quem entrou na Justiça para obrigar o hospital a tratar o marido com ivermectina, remédio usado para tratamento de piolho e sarna, entre outros. Mesmo sem eficácia, o remédio foi amplamente usado ao redor do mundo e inclusive prescrito por médicos sem restrição no Brasil.


A ideia de recorrer à Justiça, segundo o jornal York Daily Record, surgiu Darla após ler sobre casos similares na Justiça do condado, todos com a ajuda do mesmo advogado, que vive em Buffalo, no estado de Nova York. Para entrar com a ação, ela teve ajuda de um grupo que advoga pelo uso do medicamento, sugere endereços onde comprar o remédio, fornece vídeos e tutoriais para aplicação e tem inclusive uma loja que vende roupas e acessórios com elogios à ivermectina e críticas ao que chama de censura.


Em 3 de janeiro, um juiz de York decidiu não obrigar o hospital a fazer o tratamento com o remédio, mas permitiu que Darla procurasse um médico independente para administrar o medicamento. Keith recebeu duas doses de ivermectina, a primeira em 5 de janeiro, dois dias após a decisão.

Continua depois da publicidade


O estado de saúde do paciente, porém, piorou, e o tratamento ser suspenso, até que ele morreu no domingo. Não se sabe se ele estava vacinado contra a Covid-19. Darla havia escrito, segundo o York Daily Record, que não tinha certeza se o remédio seria eficaz, mas que queria tentar de qualquer forma.

Leia mais

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade