Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Entenda

Estudo pode levar à descoberta de sinais do próprio Big Bang

Salvador Nogueira - Folhapress
30 jun 2023 às 12:34
- WikiImages/Pixabay
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Assim como a detecção da radiação de fundo em micro-ondas (sinal vindo de todas as direções que representa uma espécie de eco do Big Bang, o primeiro momento desde o surgimento do universo, 13,8 bilhões de anos atrás, em que a luz viajou desimpedida através dele), o fundo de ondas gravitacionais detectado agora pelo NanoGrav, conforme for mais explorado, poderá revelar muito sobre o passado e o presente do cosmos.


Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade

Num primeiro momento, poderá revelar mais detalhes sobre essa população particular de objetos, os buracos negros supermassivos binários. Se de início tudo que se detectou foi um fundo indistinto que representa possivelmente a ação de todos eles juntos, essa informação, refinada, já permitirá estimar com que frequência e variedade eles ocorrem por todo o universo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Jovens devolvidos ao Brasil

Argentina aperta cerco contra estudantes brasileiros sem visto e 'falsos turistas'

Imagem de destaque
Medidas de precaução

Argentina vive explosão de casos de dengue e invasão de mosquitos

Imagem de destaque
Topless em frente à catedral

Ucraniana do OnlyFans é procurada pela Rússia por topless na Praça Vermelha

Imagem de destaque
'Não perdoaremos'

Israel declara Lula 'persona non grata' após comparação com Holocausto


Mais adiante, espera-se que o refino nas observações permita a detecção de sinais específicos vindos de alguns desses objetos, de modo que eles possam ser estudados não só por meio de suas ondas gravitacionais, mas também pela radiação luminosa que emitem.

Publicidade


Por fim, espera-se que em meio à "sinfonia" do fundo de ondas gravitacionais, seja possível detectar sinais que sejam fruto do próprio Big Bang, ou do processo inflacionário que deve ter ocorrido logo depois dele (em que o universo cresceu rapidamente, se expandindo mais depressa que a luz), dando pistas de como teria sido, em detalhes, o nascimento do cosmos.


Convidado a participar do evento, o físico Kip Thorne (vencedor do Prêmio Nobel em Física de 2017 por seu trabalho com a detecção pioneira de ondas gravitacionais com o Ligo) destacou essa possibilidade.


"Para mim, o Santo Graal deste campo, no longo prazo, é explorar o nascimento do universo e extrair essa informação que é carregada pelas ondas gravitacionais", diz. "A sabedoria convencional da física teórica diz que essas ondas gravitacionais seriam fracas demais para o NanoGrav ver. Mas em minha carreira de 60 anos como físico, eu vi a sabedoria convencional falhar de forma espetacular em várias ocasiões. Mantenho esperança de que algumas das ondas gravitacionais que o NanoGrav viu sejam primordiais, sejam do Big Bang."


Imagem
Governo cria regras para compras internacionais online de até US$ 50
O Ministério da Fazenda publicou nesta sexta-feira (30), no Diário Oficial da União, uma portaria com novas regras para compras
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade