Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Crise no ar

FAB nega zona cega no espaço aéreo brasileiro

Redação - Bonde
27 nov 2006 às 21:55
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou nesta segunda-feira (27) uma nota de esclarecimento sobre a cobertura de radares no País e negou a existência de um "buraco negro" ou "zona cega" no espaço aéreo. As informações são do Terra.

A nota ratifica as informações passadas pelo comandante da Aeronáutica na semana passada, em audiência pública no Senado Federal, que afirmou que não existe buraco negro na faixa de altitude utilizada pela aviação comercial (30 mil pés). Os 13 controladores ouvidos a última quarta-feira pela Polícia Federal no caso do acidente com o vôo 1907 da Gol foram unânimes em afirmar que existe um ponto cego.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo eles, uma área um pouco acima de Brasília já entrando em Mato Grosso e atingindo também uma região da Amazônia, há uma falha de comunicação do sistema de rádio, onde a torre de controle não consegue se comunicar com aeronaves e vice-versa.

Leia mais:

Imagem de destaque
Por que esse nome?

'Lua Cheia de Morango' poderá ser observada a partir desta sexta; entenda o fenômeno

Imagem de destaque
Ação contra o governo britânico

Ativistas vandalizam pedras de Stonehenge, na Inglaterra, com tinta laranja

Imagem de destaque
Dia dos Pais

Kate Middleton homenageia príncipe William com imagem inédita e mensagem de amor

Imagem de destaque
Crystal

Como funciona o Cirque du Soleil, que leva espetáculo de gelo ao Rio e a São Paulo


De acordo com a nota, abaixo de 20 mil pés, podem existir áreas com detecção limitada, onde, porém, o fluxo de tráfego aéreo é menos significativo.

No domingo, o Fantástico apontou um documentos do Ministério da Aeronáutica em que indicava que o espaço aéreo brasileiro tem um "buraco negro" na área controlada pelo Cindacta 1, monitorado a partir de Brasília. A área seria a mesma em que o jato Legacy se chocou com o Boeing da Gol, causando a morte de 154 pessoas, em Mato Grosso, em setembro.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade