Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Último do ano

Nobel de Economia vai para Claudia Goldin por estudos sobre gênero

Ansa Brasil
09 out 2023 às 10:36
- Divulgação
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Claudia Goldin foi laureada nesta segunda-feira (9) com o Nobel de Economia, encerrando a temporada de premiações em 2023.


Conforme a Real Academia Sueca de Ciências, a professora da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, foi escolhida por ter "melhorado nosso entendimento sobre o mercado de trabalho feminino".

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"A laureada neste ano forneceu o primeiro estudo abrangente sobre os salários das mulheres e sua participação no mercado de trabalho ao longo dos séculos. Sua pesquisa revela as causas de mudança, bem como as principais fontes da disparidade de gênero ainda existente", informou a instituição.

Leia mais:

Imagem de destaque

Militar dos EUA morre após atear fogo em si mesmo ao lado da embaixada de Israel

Imagem de destaque
Jovens devolvidos ao Brasil

Argentina aperta cerco contra estudantes brasileiros sem visto e 'falsos turistas'

Imagem de destaque
Medidas de precaução

Argentina vive explosão de casos de dengue e invasão de mosquitos

Imagem de destaque
Topless em frente à catedral

Ucraniana do OnlyFans é procurada pela Rússia por topless na Praça Vermelha


Nascida em 1946, Goldin é atualmente codiretora de gênero no Grupo de Estudos Econômicos do Escritório Nacional de Pesquisa Econômica (Nber) e, conforme a Real Academia Sueca, o trabalho "inovador" mostrou que as disparidades salariais entre homens e mulheres acontecem mesmo entre profissionais que ocupam o mesmo cargo, e se acentuam com o nascimento do primeiro filho.

Publicidade


"As mulheres estão muito subrepresentadas no mercado de trabalho global e, quando trabalham, ganham menos que os homens.


Claudia Goldin vasculhou os arquivos e recolheu mais de 200 anos de dados dos EUA, o que lhe permitiu demonstrar como e por que as diferenças de gênero mudaram ao longo do tempo", ressaltou a entidade.


Os outros laureados com o Nobel em 2023 são Katalin Karikó e Drew Weissman (Medicina); Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L'Huillier (Física); Moungi Bawendi, Louis Brus e Alexey Ekimov (Química); Jon Fosse (Literatura); e Narges Mohammadi (Paz).


Imagem
UEL recruta voluntários com dificuldades para sentir cheiro pós-Covid-19
Quem tem de 18 a 65 anos e sofre há pelo menos três meses de perda olfativa após contrair Covid-19 pode participar de uma pesquisa desenvolvida pela UEL
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade